Em Tubarão, alguns bancos expõem cartazes com o aviso de limite para saque nos caixas eletrônicos
Em Tubarão, alguns bancos expõem cartazes com o aviso de limite para saque nos caixas eletrônicos

 

Mirna Graciela
Tubarão
 
Não houve acordo entre os sindicatos trabalhista e patronal das empresas transportadoras de valores. Uma audiência ocorreu ontem à tarde, em Itajaí. Com isso, a greve continua. E a situação já se reflete em Tubarão, onde alguns bancos racionam o limite para saque nos caixas eletrônicos. Caso não haja uma solução em breve, a situação pode piorar ainda mais.
 
“Hoje (ontem), em Tubarão, a situação ainda está controlada porque as empresas entraram em greve na última sexta-feira, mas a tendência é de que comece a complicar ao longo da semana”, prevê o gerente da agência do centro da Caixa Econômica Federal (CEF), Márcio Borges. 
 
Mesmo com o pouco tempo de greve, neste sábado à tarde os caixas eletrônicos fora das agências bancárias, como em supermercados e no Farol Shopping, por exemplo, faltou dinheiro.
 
O advogado do Sindicato das Empresas de Segurança Privada e Transportes de Valores de Santa Catarina (Sindesp), Aluisio Guedes, afirma que a proposta de 4% continua, mas não foi aceita pelo sindicato patronal.
 
“Uma nova audiência deve ser marcada para o julgamento do dissídio, pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que, provavelmente, determinará um número mínimo de trabalhadores na ativa, já que se trata de um serviço de extrema necessidade à população”, pontua o advogado.
 
Proposta de 4% é mantida e negociação não avança
A greve no setor de transporte de valores começou na segunda-feira da semana passada em Santa Catarina. O tesoureiro do Sindicato dos Trabalhadores em Carro Forte, Guarda, Transporte de Valores e Escolta Armada de Santa Catarina (Sintravesc), Júlio Maranhão, justifica que não houve acordo na rodada de negociação de ontem, em Itajaí, porque a proposta dos patrões, de reajuste de 4%, foi mantida. 
A classe trabalhista reivindica 14,88% de aumento salarial (índice do INPC, de 4,88%, mais aumento real de 10%), o retorno do vale-alimentação nas férias – com o reajuste do valor de R$ 15,90 para R$ 18,00 -, e plano de saúde integral.
Na semana passada, cerca de dez bancos no estado foram autuados pelo Procon estadual por limitar os saques nos caixas, o que vai contra o Código de Defesa do Consumidor. As cidades mais atingidas, por ora, são Florianópolis, Criciúma, Blumenau, Itajaí, Joinville, Joaçaba, Lages e Chapecó.