Nas peças, os dois atores usam práticas circenses para transmitir de forma divertida  a mensagem  de cuidados com o meio ambiente  -  Foto:Divulgação/Notisul
Nas peças, os dois atores usam práticas circenses para transmitir de forma divertida a mensagem de cuidados com o meio ambiente - Foto:Divulgação/Notisul

Tubarão

Já diz o dito popular que, se Maomé não vai à montanha, ela trata de deslocar-se. E é este o objetivo do projeto Conexão Sustentável Alcoa, que hoje e amanhã trará cinema gratuito para Tubarão e, na próxima terça e quarta-feira, teatro. Lançado esse ano para levar cultura e informação sobre conservação ambiental e entretenimento, o projeto já passou pelo Pará, Maranhão, Pernambuco, Minas Gerais e São Paulo.

O cinemóvel, um caminhão com a carroceria convertida em sala de cinema, estará estacionado na Unisul, próximo da biblioteca. O palcomóvel, caminhão com a carroceria transformada em palco, estará no estacionamento da Fundação Municipal de Educação.

Nas peças “Marmelada” e “Circo Reciclado”, os dois atores que integram o Circo Fool usam práticas circenses para transmitir de forma divertida a mensagem de que é importante cuidar do meio ambiente. Já no espetáculo da companhia Teatro Mamulengo, o artista Chico Simões contracena com bonecos e perfis bastante variados na peça “O Romance do Vaqueiro Benedito”.

As peças que participam do projeto têm em comum um tema: a sustentabilidade. “A equação arte e preservação do meio ambiente costuma atrair muito a atenção da criançada, que aprende enquanto se diverte e ainda percebe o valor do teatro como meio de reflexão sobre o mundo”, diz o produtor Jefferson Bevilacqua, da Magma Cultura, responsável pelo projeto. 

O cinemóvel tem programação voltada ao público universitário, com filmes e documentários sobre temas como preservação da água, biodiversidade, aquecimento global, consumo consciente e manejo de resíduos.

Oficinas
Um reforço extra na conscientização será dado por meio de oficinas de reciclagem e jogos interativos oferecidos ao público em horários pré-definidos. Voluntários podem se inscrever para atuarem como oficineiros. Eles terão um treinamento e vão ensinar até 60 participantes de cada vez a transformarem em artesanato itens que de outra forma seriam descartados.