O diretor do Projeto Baleia Franca, Helder Canadas, o represenrante da OSX (empresa responsável pelo superporto), Paulo Rebeschini, e o representante da H7 Consultoria, Hermeson Silveira, visitaram o Superporto do Rio de Janeiro
O diretor do Projeto Baleia Franca, Helder Canadas, o represenrante da OSX (empresa responsável pelo superporto), Paulo Rebeschini, e o representante da H7 Consultoria, Hermeson Silveira, visitaram o Superporto do Rio de Janeiro

 

Imbituba
 
O ano começou com um novo trabalho para o Projeto Baleia Franca. A ação é monitorar os cetáceos para o Complexo Industrial do Superporto do Açu, do Rio de Janeiro, o maior empreendimento porto-indústria da América Latina, que tem previsão do início das operações para o próximo ano.  
 
Este empreendimento deverá movimentar 350 milhões de toneladas por ano, entre exportações e importações. O superporto será um dos maiores complexos portuários do mundo.
 
A estimativa é que possa atrair investimentos de US$ 40 bilhões e gerar 50 mil empregos. O “superporto”, localizado no norte do estado fluminense, foi visitado nesta sexta-feira pelo diretor do Projeto Baleia Franca, Helder Canadas. “A visita foi positiva, e pudemos conhecer um pouco mais sobre o Superporto. O que vimos realmente nos impressionou. Temos a certeza de que um projeto como esse precisa aliar desenvolvimento com meio ambiente. E esse será o papel do Projeto
Baleia Franca”, diz o diretor do projeto.
 
No local, serão implantadas siderúrgicas, polo metalmecânico, unidade de armazenamento e tratamento de petróleo, estaleiro, termoelétrica e indústrias de tecnologia da informação.