Além dos danos ambientais, as ligações clandestinas de esgoto causavam prejuízos para os moradores, os turistas e para o processo de tratamento, já que a estação não foi dimensionada para receber água da chuva - Foto: Prefeitura de Laguna | Divulgação

Implantado há cerca  de um ano, o Programa Trato por Laguna já realizou mais de seis mil vistorias em relação ao esgotamento sanitário de prédios residenciais, comerciais e casas por toda a cidade. No mesmo período, a ação contabiliza a marca de 1.671 imóveis regularizados, dos quais 727 ficam no Bairro Mar Grosso, onde o problema com o esgoto clandestino, ligado diretamente na rede de drenagem pluvial, ocorre com muito mais frequência do que em outras localidades. O programa é uma parceria entre a Casa e a Prefeitura de Laguna e tem como principal objetivo promover uma série de melhorias no sistema de esgotamento sanitário do município. O resultado da fiscalização é refletido neste verão, destaca o chefa da agência da Casa em Laguna, Diego de Medeiros.

“Mesmo com a grande quantidade de visitantes nesta temporada, não registramos problemas de falta de água ou extravasamentos no sistema de esgotamento sanitário, duas situações comuns e que atrapalhavam, os moradores e também os turistas”, destaca Diego. Uma das principais irregularidades encontradas nas vistorias é o direcionamento de água das chuvas para as redes de esgoto. Cerca de 18% dos imóveis fiscalizados estavam com ligações cruzadas. Além dos dados ambientais e o extravasamento para as ruas, praias e casas em regiões mais baixas, a prática clandestina gerava prejuízos para a Estação de Tratamento de Esgoto, que não foi dimensionada para receber água da chuva.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul