Moradores de quatro cidades do Sul catarinense estão sofrendo com a falta de médicos. Oito profissionais que atuavam nas unidades básicas de saúde, contratados por meio do programa Mais Médicos, pediram demissão.

O município de Içara contava com nove profissionais pelo programa federal, mas cinco pediram demissão para fazer residência. “Tem o contrato do médico também da sua permanência pelo período de três anos. E com dois meses já saíram do serviço”, disse o prefeito Murialdo Gastaldon.

A saída também ocorreu em municípios como Siderópolis e Balneário Rincão, por exemplo. Ambos tinham duas vagas do Mais Médicos, que estavam preenchidas, só que um profissional de cada cidade pediu demissão.

Em Urussanga era uma só vaga e o profissional que a preenchia também pediu demissão para fazer residência. As prefeituras agora aguardam edital do Ministério da Saúde para poderem contratar novos profissionais.

“Se o município tiver que assumir responsabilidade, que pelo convênio cabe ao governo federal, significa apenas com esses cinco médicos – podem sair outros – R$ 1,3 milhão. Nós vamos manter os médicos, mas precisaremos retirar de outros setores de atendimento à população”, disse Gastaldon.

A secretária de Saúde de Içara, Jaqueline dos Santos, afirma que o município está com dificuldade em repor as vagas. “A gente está procurando esses médicos e não está encontrando. Bastante difícil encontrar médicos que a gente possa recolocar no lugar desses que saíram”, disse.