Foto: indicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Tubarão e Região

A manifestação organizada pelos funcionários da área de enfermagem do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), de Tubarão, nesta terça-feira teve uma participação maior que o esperado.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Tubarão e Região (Sindsaúde), Denise Matos de Freitas, eram esperadas entre 100 e 150 pessoas. “Quando percebemos tinhas uns 300 profissionais, fiquei muito surpresa. Conseguimos fazer uma manifestação pacífica e sem aglomeração”.

Os participantes usaram roupa preta e ficaram próximo ao HNSC. Eles reivindicavam por melhorias salariais, sobrecarga de trabalho, falta de humanização e condições justas de trabalho.

Denise disse que o sentimento dos profissionais é de revolta e todos estão no limite do cansaço porque não há reposição de trabalhadores para suprir o aumento do número de pacientes. A maioria é afastada por exaustão ou porque foi contaminado com o vírus. Os que ficam seguem trabalhando sem ter hora para voltar para casa, e com um grande número de pacientes para atender.
“Há vagas disponíveis para profissionais de enfermagem, mas falta gente com interesse para atuar na linha de frente no combate ao Covid-19 porque os salários não são compatíveis com a carga de trabalho”.
A presidente do Sindsaúde, que é técnica de enfermagem na UTI adulto do HNSC, diz que este problema parte da direção do hospital que não valoriza os profissionais. “Se continuar desta forma vai haver uma demissão em massa e os pacientes vão pagar com a própria vida porque não terá ninguém para atender eles”.
Denise disse que o ato desta terça-feira foi um aviso e a prova de “o cansaço pegou”. “Para profissionais de saúde estarem com este pensamento é que porque estão no limite”.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul