Zahyra Mattar
Tubarão

Faça chuva, faça sol, desta vez nada deverá atrapalhar a colheita de arroz na Amurel no próximo ano. A semeadura das fazendas já começou. Diferente do registrado nos dois últimos anos, quando os lucros foram praticamente equivalentes ao custo da produção, para 2009 é previsto acréscimo real aos produtores. “A tendência é de melhora, de recuperação do que foi perdido nos anos anteriores. A previsão é que o ganho fique como o observado neste ano, o que já é muito bom”, avalia o gerente administrativo da Cooperativa Agropecuária de Tubarão (Copagro), Aclis Fortunato.

Isto porque o custo da produção de 2009 deverá ser maior, já que o preço dos insumos teve um incremento neste ano. Neste momento, a saca de 50 quilos de arroz é vendida a R$ 30,00, em média. Este mesmo valor é previsto para 2009. “Pode ser que chegue a R$ 35,00 a saca, mas ainda assim não haverá reflexo para os consumidores”, condiciona Aclis.
Hoje, o consumidor paga aproximadamente R$ 8,00 o pacote de cinco quilos de arroz. A tendência, acredita o gerente administrativo, é que este preço mantenha-se em 2009.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima 3% de aumento no país nesta safra, cujo plantio ocorre nesta época e a colheita entre março e meados de maio do próximo ano. Na Amurel, também deverá haver um significativo aumento. A soma dos cerca de 40 produtores da região agrega 21 mil hectares de área plantada. Cada lote gera até 140 sacas de arroz. “O preço estável garante, no mínimo, a mesma estabilidade do mercado. Só neste aspecto, já estamos no lucro, quando comparamos com o ocorrido nas duas últimas safras”, compara Aclis.