#ParaTodosVerem Na foto, a cachorra Bilu, de pelagem caramelo e porte médio, que morreu após ser atropelada na BR-101, em Biguaçu
Cachorra Bilu foi atropelada no último dia 9 de junho e deixada às margens da BR-101. Seu sofrimento só não foi maior porque voluntários de uma ONG de Biguaçu prestaram socorro. Mesmo com o tratamento, Bilu não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois - Foto: Divulgação

Concessionárias que mantêm as rodovias precisam prestar o atendimento necessário a animais machucados e abandonados às margens das estradas para garantir a saúde desses bichos e também não causar prejuízos aos veículos que trafegam no local. Esse foi o teor da notificação realizada pelo Procon à Arteris, concessionária responsável pelo trecho Norte da BR-101 em Santa Catarina. O órgão estadual quer esclarecimentos sobre o atropelamento da cachorra Bilu, atropelada em Biguaçu, no último dia 9 de junho. “É uma crueldade deixar que os animais fiquem agonizando à espera de tratamento. Mais uma vez saliento que o Procon trabalha para defender o consumidor, o cidadão, mas jamais vai fechar os olhos para uma barbárie desta com os animais. Se podemos atuar de alguma forma, assim o faremos”, afirma o diretor do órgão, Tiago Silva. Bilu sofreu politraumatismos, foi levada à clínica por voluntários de uma ONG de Biguaçu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois.

A Arteris alega isenção de responsabilidade no atendimento a cachorro atropelado e abandonado às margens de estrada. Já o Procon argumenta que houve negligência e justifica a medida com base em entendimentos do departamento de Defesa do Consumidor e do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Por isso, o órgão exigiu que a concessionária apresente, no prazo de 10 dias, justificativa para suposta alegação de isenção de responsabilidade com o cuidado de animais machucados e abandonados em rodovias. Em caso de desobediência, a empresa está sujeita a sanções administrativas e também multa. Essa não é a primeira vez que situações como essa ocorrem. O órgão do Estado já notificou concessionárias para que informassem qual o procedimento adotado quando há a presença de algum bicho na pista e se há funcionários responsáveis por retirar os animais e prestar auxílio veterinário em caso de acidente.

Fonte: Procon de Santa Catarina
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul