Zahyra Mattar
Tubarão

Como havia sido anunciado, os trabalhadores da Incorporadora Brighentti iniciaram a montagem do canteiro de obras para a construção do novo prédio do Presídio Regional de Tubarão na semana passada. Ontem, os trabalhos estavam praticamente concluídos (foto acima). Com isso, os seis mestres de obras da empresa, especialistas na construção de unidades prisionais, devem chegar hoje ou amanhã em Tubarão para iniciar efetivamente a construção do prédio.

Tudo é acompanhado de perto por Wilson da Silva, assessor especial do secretário de segurança pública Ronaldo Benedet. “Assim como a obra era prioridade de Ronaldo para iniciar, agora é prioridade para terminar. A meta é cumprir o prazo de um ano estabelecido no edital. O secretário faz questão de voltar a Tubarão para inaugurar esta obra”, destaca Wilson.

Esta semana, profissionais da construtora Êxito, responsável pela primeira etapa da obra, a terraplenagem, voltará a Tubarão para detonar mais algumas rochas e abrir a nova estrada. “Ficou esta pequena parte para trás porque antes não sabíamos qual a posição do prédio. Agora que está tudo definido, eles voltam para terminar”, explica Wilson.

A Incorporadora Brighentti, em breve, deverá abrir vagas de emprego. Wilson não sabe exatamente quantas. “É mais fácil contratar a mão-de-obra daqui do que trazer de fora. Virão alguns trabalhadores especializados e o restante será contratado em Tubarão mesmo. É porque gera emprego e renda para a cidade”, avalia o assessor.

As obras

• Conforme o projeto arquitetônico, na parte inferior, ficará toda a estrutura dos presos: celas, dois quartos para visita íntima, banheiros para os familiares, salas de revista, depósito, ambulatório, sala para advogado e cozinha com pequeno refeitório para os detentos responsáveis pela comida.

• A parte superior abrange toda a estrutura administrativa, alojamento, banheiros e cozinha para os agentes prisionais. Os policiais militares que fazem a segurança do local também terão um alojamento, anexo ao prédio principal.
• O novo presídio regional será construído no terreno de 1.917,18 metros quadrados, adquirido pelo estado ao preço de R$ 350 mil. A unidade terá capacidade para abrigar 248 presos. Hoje, 230 pessoas dividem o espaço projeto para apenas 60.