Ação alusiva ao aniversário da ONG Anjos das Águas realizou o recolhimento de lixo e prova de travessia da Lagoa do Arroio Corrente, em Jaguaruna.

Jaguaruna

Para reduzir os danos causados pelos crimes ao meio ambiente, algumas das atitudes simples é adquirir hábitos sustentáveis e eficientes. E para tentar garantir um planeta ambientalmente mais forte, um grupo de voluntários se uniu, por meio da paixão pelo esporte e meio ambiente, e fundaram a Organização Não Governamental (ONG) Anjos das Águas. Desde 2011, o grupo atua nas praias e lagoas do Litoral Sul, fomentando a prática de esportes e a conscientização da preservação ecológica.

Em comemoração aos seis anos de fundação da entidade, que tem sede em Capivari de Baixo, o grupo realizou um evento com ampla programação, no domingo, na Lagoa do Arroio Corrente, em Jaguaruna. Apesar do mau tempo, o público pôde participar de diversas atrações, como a prática de caiaque na lagoa e o mergulho livre.

Durante o evento, foram retirados mais de cinco quilos de lixo do fundo da lagoa por mergulhadores scuba em apenas meia hora de atividade. “Nosso intuito é colaborar com a preservação do meio ambiente e mostrar a realidade das nossas riquezas naturais, como a Lagoa do Arroio Corrente, que infelizmente recebe muito lixo todos os anos”, lamenta o presidente e um dos fundadores da ONG, o bombeiro militar formado em gestão ambiental, Richard Fidelix Lorenzi.

Grupo realiza mutirão de limpeza nas lagoas e praias da região
pag 5 retranca
Durante os seis anos de atuação no Litoral Sul, diversos espaços naturais receberam o grupo de voluntários, que por meio de mergulhos puderam presenciar o acúmulo de toneladas de lixo no fundo dos mares, rios e lagoas da região.

“Já fizemos a limpeza no canal dos Molhes, na Ilha dos Lobos, na Laje da Jagua. Retiramos redes acumuladas que impediam a entrada dos peixes, entre tantos outros lugares com acúmulo de lixo”, alerta o presidente da ONG, Richard Fidelix Lorenzeti.

O grupo irá participar da Semana do Meio Ambiente, em Capivari de Baixo, com palestras sobre preservação e a realidade do Rio Tubarão. “Se cada pessoa fizer a sua parte poderemos manter nossas riquezas naturais para as próximas gerações”, enfatiza.