Zahyra Mattar
Tubarão

“Não foi uma reunião definitiva, mas de sugestões, de conversações. Manoel queria nos ouvir. A maneira como este assunto é tratado gerou um mal estar dentro da prefeitura. A decisão só sai dia 30 de dezembro”. As declarações entre aspas são do vereador Deka May (PP), sobre o corte de pessoal que ocorrerá na prefeitura de Tubarão ainda neste ano.

Na última sessão da câmara de vereadores, Deka encaminhou ao prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) uma indicação, cujo texto foi subescrito por todos os colegas da base governista, para seja efetuado um estudo sobre todas as implicações jurídicas e administrativas que as demissões possam implicar.
“Criou-se um drama antecipado. O prefeito tem o máximo interesse de potencializar o trabalho do servidor. Fazer com que todos peguem junto. Falam em percentuais, mais qual o critério? Não sabemos ainda”, argumenta.

O vereador expressa ainda uma opinião particular sobre o assunto: “Acredito que deveria zerar tudo. Mesmo porque acho que seria mais justo. Até o momento, foi um governo de continuidade. Agora, Manoel vai imprimir sua digital. Acho justo e temos que dar a ele esta oportunidade”.

Deka não vê o corte como algo prejudicial, e sim como uma forma de melhorar o serviço público. “E, se for justo, pode contar com meu apoio. O servidor precisa ser valorizado e o prefeito quer a reforma administrativa e a implantação de um plano de carreira”, avalia o vereador.