O presidente da câmara de vereadores de Capivari de Baixo, Arlei da Silva (PPS), afirma que os valores previstos no projeto estão dentro do previsto em lei
O presidente da câmara de vereadores de Capivari de Baixo, Arlei da Silva (PPS), afirma que os valores previstos no projeto estão dentro do previsto em lei

 

Angelica Brunatto
Capivari de Baixo
 
O projeto de lei que aumenta em 47% o salário dos vereadores de Capivari de Baixo pode não ser sancionado pelo prefeito Luiz Carlos Brunel Alves (PMDB). Para ele, os valores previstos são altos e desnecessários, além de não valorizar os trabalhadores da cidade.
 
”Vou reunir os vereadores para discutir esta lei. Quem sabe podemos entrar em um acordo e diminuir o percentual”, antecipa o gestor. Ele retorna hoje de Brasília, onde participa da Marcha dos Prefeito.
 
O salário de um vereador, por lei, pode chegar até 30% do vencimento de um deputado estadual. Por isso Brunel acredita que o percentual almejado pela casa – que valerá somente para a próxima legislatura – é alto demais.
O presidente da câmara, Arlei da Silva (PPS), afirma que o valor estpa correto. “Pedimos, inclusive, orientação da assembleia legislativa. O percentual não ultrapassa o estipulado”, assegura. 
 
Segundo o parlamentar, os 47% de reajuste representam a soma dos últimos quatro anos. “É lei! Não legislamos para nós, apenas cumprimos com a nossa obrigação”, considera o presidente Arlei.
 
O projeto de lei foi criado pela mesa diretora. Porém, o vice-presidente Francisco dos Santos Justino, o Chico (PSDB), afirma não ter participado da decisão. “Fiquei de fora da construção do texto. Não tem a minha assinatura e ainda votei contra”, revela Chico.
 
Segundo ele, o projeto nem mesmo foi levado para ser discutido em plenário. “Acredito que o prefeito irá vetar”, prevê.
 
Valores
Caso o projeto de lei que prevê o aumento salarial de 47% no salários dos vereadores de Capivari de Baixo seja sancionado pelo prefeito Luiz Carlos Brunel Alves (PMDB), o percentual também será aplicado nos vencimentos do próprio gestor e do vice.
Os secretários das prefeituras não foram contemplados no texto da matéria. Hoje, em Capivari de Baixo, um vereador recebe em torno de R$ 4 mil por mês. 
“Os secretários ganham um pouco mais. Por isso ficaram de fora da lei. Assim, teremos salários equiparados”, entende o presidente da câmara, Arlei da Silva (PPS).
Com o reajuste, os vencimentos dos parlamentares passarão para R$ 6 mil por mês. No caso do prefeito, o salário passará dos atuais R$ 10 mil para R$ 18 mil. Já o vice-prefeito ganhará R$ 9 mil. Hoje recebe R$ 6 mil por mês.