Sangão foi umas cidades mais atingidas pelas chuvas que atingiram a região Sul de Santa Catarina na última sexta-feira, dia 24. Casas e lojas alagadas, carros e ônibus arrastados pela enxurrada, famílias desabrigadas. O município deve decretar estado de calamidade pública nesta segunda-feira, dia 27.

O prefeito de Sangão, Dalmir Carara Cândido afirma que se reunirá com os secretários na manhã desta segunda-feira. “Vamos decretar estado de calamidade pública. A situação é precária. Já conversei com a Defesa Civil de Santa Catarina e vamos começar a reconstruir a cidade. Ainda não temos uma estimativa de quantas pessoas foram afetadas, sabemos que quatro famílias estão desabrigadas. Mas a maioria da nossa população teve prejuízos”, explica.

Cândido relata que terá que buscar recursos. “Não conseguiremos bancar os prejuízos com recursos próprios. Para citar um exemplo, teve uma rua que calçamos que não tem mais uma lajota. É difícil”, ressalta. 

“Vamos suspender as aulas nesta semana, porque os ônibus foram arrastados pela enxurrada. Precisamos arrumar os veículos que transportam as crianças”, acrescenta.

O prefeito considera o cenário de tristeza. “Tem carros abandonados nas vias. Muitos veículos foram arrastados e estão abandonados. Não vamos conseguir estimar os prejuízos hoje, só após a reunião”, pontua. “Nem a enchente de 1974 foi tão horrível como a de agora. Não chegou nem a metade”, completa.

Cândido ressalta que os empresários da região estão emprestando suas máquinas para o município. “Não estamos conseguindo usar nossos caminhões e as empresas estão nos ajudando, está sendo fundamental”, relata.

O prefeito ainda afirma que a comunicação no município está difícil. “Ficamos sem telefone, sem internet. Estamos conseguindo restabelecer alguns pontos, mas a situação é complicada. Vamos trabalhar e reconstruir o Sangão”, finaliza.

Leia mais sobre: