Zahyra Mattar
Tubarão

 
A primeira pesquisa eleitoral para a prefeitura de Tubarão, contratada pelo Notisul em parceria com a rádio Som Maior FM, gerou um extenso debate ontem. Na avaliação dos quatro pré-candidatos, os números corroboram com o atual cenário político da cidade.
 
Com 29% dos votos na pesquisa estimulada, Olavio Falchetti (PT) considera que os números refletem o sentimento de mudança da população. “Sinaliza também que a nossa posição, de não nos coligarmos, não está isolada. Mostra os anseios da população, que quer um governo diferenciado”, destaca Olavio.
 
Carlos Stüpp (PSDB), preferência de 25,4% dos entrevistados, considera que a partir do momento em que as coligações se confirmarem, assim como o vice e a nominata de vereadores, a tendência é o crescimento. “Os números ficaram dentro do esperado, especialmente para quem anunciou a candidatura há menos de três semanas”, analisa o pré-candidato tucano.
 
A opinião do deputado federal Edinho Bez (PMDB), que obteve 23,5% dos votos na pesquisa estimulada, é parecida com a do concorrente tucano. Edinho também considera que, até o cenário eleitoral ser desenhado, com as convenções, os dados não mudarão muito. “Depois de tudo definido, não tenho dúvidas de que estarei na frente. Se tem coisa que entendo é de número e de política”, afirma. 
 
O atual vice-prefeito, Pepê Collaço (PSD), também acredita que o atual quadro eleitoral mudará, mas avalia que a pesquisa traduz o sentimento da população no momento. Ele recebeu 6,7% dos votos no levantamento estimulado.
 
“Estou satisfeito. Nunca fui candidato a prefeito, deputado e não tenho um nome consolidado. Agora, é trabalhar para chegar em outubro fortalecido”, pondera Pepê. Ele considera ainda que o fato do PSD não ter confirmado a sua candidatura reflete sobre a pesquisa.
 
 
Pesquisa revela os motivos dos votos
O levantamento contratado pelo Notisul, em parceria com a rádio Som Maior FM, sobre as eleições para prefeito em Tubarão, foi feito pelo Instituto de Pesquisa Catarinense LTDA (IPC). A pesquisa também revela outros pontos interessantes.
 
Um deles é quanto aos partidos. Dos 625 entrevistados, a maioria – 74,6% – respondeu não ser filiada ou simpatizante de nenhum partido. Entre as siglas mais lembradas, estão o PMDB (11,8%), o PT (5,8%) e o PSDB (3,7%). O levantamento também perguntou para os entrevistados o motivo pelo qual votariam em determinado candidato.
 
As respostas foram espontâneas (quando a pessoa responde o que quer, sem itens sugeridos para escolher um). Entre  os motivos para que levaram 29% dos entrevistados escolherem Olavio Falchetti, pré-candidato do PT, estão, nesta ordem, honestidade, vontade de mudança e por considerarem que ele fará uma boa administração.
 
No caso de Carlos Stüpp (PSDB), os 25,4% eleitores que o escolheram foram movidos pelo fato do pré-candidato ter feito boa administração nos dois mandatos à frente da prefeitura, por considerarem ele o melhor candidato no momento e por o conhecerem.
 
Já os 23,5% entrevistados que escolheram Edinho Bez (PMDB), responderam que a preferência deu-se por ele ser visto como bom administrador, por o conhecerem e por ele ser honesto. Já o pré-candidato do PSD foi escolhido por 6,7% dos entrevistados por ser considerado bom candidato, por fazer uma boa administração e por ser jovem.
 
A coleta de dados foi realizada nos últimos sábado e domingo, em 29 bairros da cidade. O número é proporcional à quantidade de eleitores de cada comunidade. A pesquisa foi registrada na justiça eleitoral sob o número SC-00019/2012.