Zahyra Mattar
Laguna

Dois pontos continuam com água imprópria para o banho em Laguna, único municípios da Amurel onde a análise de balneabilidade da Fatma apontou problemas desde o início da temporada. Os locais são os mesmos diagnósticos na semana passada: a Lagoa de Cabeçudas, em frente ao quilômetro 313 da BR-101, e a Prainha do Farol, na entrada da praia. Em Garopaba, Imbituba e Jaguaruna, onde a análise das águas também é feita semanalmente no período da alta temporada de verão, os diversos pontos analisados continuam próprios para o banho.

Em todo o litoral catarinense, são verificados 182 pontos dos 500 quilômetros da costa. Destes, 49 estão impróprios. Para o responsável técnico pelo laboratório da Fatma, Marlon Daniel da Silva, o quadro não teve alteração significativa mesmo com as chuvas que ocorreram recentemente. “A situação, aos poucos, é normalizada. Ainda temos alguns pontos impróprios porque vem ocorrendo algumas chuvas noturnas, mas a tendência é que nos próximos dias estejamos na nossa média que é de cerca de 80% de pontos próprios para banho”, analisa.

O ponto é considerado impróprio para banho quando em 60% dos últimos cinco resultados o volume da bactéria Escherichia coli (presente nas fezes de animais de sangue quente, incluindo o homem) for superior a 800 NMP (Número Mais Provável) por 100 mililitros de água, nas amostras coletadas. Ou ainda quando, na última amostragem, o valor obtido for superior a dois mil NMP por 100 mililitros de água.
A pesquisa de balneabilidade é um trabalho realizado sistematicamente pela Fatma desde 1976, seguindo as normas da Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O relatório completo está no site www. fatma.sc.gov.br.