As viagens feitas pelos vereadores foram a trabalho, confirmou o Ministério Público
As viagens feitas pelos vereadores foram a trabalho, confirmou o Ministério Público

Karen Novochadlo
Capivari de Baixo

“Se usaram, terão que devolver”. A frase ouvida constantemente nas ruas de Capivari de Baixo é referente ao dinheiro público gasto em diárias de viagens em 2009, 2010 e 2011. Os vereadores terão que devolver parte dos recursos.
No dia 29 do último mês, os vereadores assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público (MP). Eles acataram a proposta da promotora Marina Modesto Rebelo, que sugeriu a redução do valor das diárias, de R$ 678,00 para R$ 290,00 (para viagens dentro do estado) e R$ 949,00 para R$ 465,00 (para fora de Santa Catarina).

A auxiliar de serviços gerais Maria das Dores Elias, 42 anos, conta que há algum tempo está desanimada com os políticos. Mas ficou feliz em saber que o município receberá de volta a quantia gasta nas viagens.
Para o eletricista João Gualberto de Medeiros, 62 anos, a devolução do dinheiro não deveria ocorrer apenas em nível municipal, e sim estender-se para o federal. “Só o nosso salário que não aumenta. Sou a favor da devolução da quantia”, ressalta.
Muitos moradores comemoram a imposição da devolução do dinheiro, mas a maioria prefere não se identificar.

Relembre o caso
Em agosto do ano passado, foi divulgado quanto a câmara de vereadores de Capivari gastou em diárias em 2009, R$ 283,3 mil. Os vereadores justificaram os gastos com a participação em cursos de qualificação e viagens feitas para angariar fundos ao município. No estado, a câmara de Capivari foi a terceira que mais gastou com diárias naquele ano, conforme o Tribunal de Contas (TCE). “Perdeu” só para Joinville e São Francisco do Sul. O Ministério Público de Capivari entrou no caso para avaliar a situação. O que ficou concluído é que os valores foram altos porque as diárias estabelecidas pela câmara eram elevadas.