Andréa Raupp Alves
Jaguaruna

Cada um aproveita o verão do seu jeito: uns preferem mar, outros piscinas, lagoas. Mas existem aqueles que dispensam conselhos e preferem refrescar-se em locais impróprios para banhos, como é o caso das proximidades da ponte do Camacho, em Jaguaruna. Nos fins de semana, a lagoa vira um verdadeiro ‘Piscinão de Ramos’ e muitos banhistas preferem não seguir os avisos.

No último fim de semana, várias pessoas tomavam banho no local. Inclusive, um adolescente foi fotografado no momento em que se jogava da ponte, fazendo ‘piruetas’ no ar. O bombeiro voluntário de Jaguaruna Maycon Laureano conta que há pouco mais de três semanas um homem foi resgatado depois de se jogar da ponte. “Ele mergulhou, bateu a cabeça nas pedras que e teve lesão em duas vértebras”, lembra.

Debaixo da ponte, a lagoa tem aproximadamente 2,5 metros de profundidade. Em dias de muita chuva, a correnteza forte traz muitos galhos e toras de madeiras. Alguns ficam acumulados nos pilares da ponte e o banhista pode ficar preso e morrer afogado. “A ponte é muito alta e o mergulhador ganha muito impulso quando pula, ou seja, vai cada vez mais para o fundo. Esta atitude é praticamente suicida”, alerta Maycon.

A secretária de saúde da prefeitura de Jaguaruna, Jaqueline Elza Serafim Pacífico, revela que as agentes de saúde do Programa de Saúde da Família (PSF), quando percorrem as casas do Camacho, alertam a população que aquele local não é próprio para banho. “Todos os moradores estão cientes sobre aquele local”, assegura.

Placas

O secretário de obras da prefeitura de Jaguaruna, Edenilson Montini da Costa, afirma que até o fim dessa semana serão colocadas placas de aviso aos banhistas. “Nosso objetivo é informar a população que nas proximidades da ponte não é aconselhável tomar banho, pois sempre ocorrem acidentes sérios”, destaca. Edenilson ressalta ainda que o local não conta guarda-vidas, pois não é apropriado para banhos. “Por isso, não colocamos guarda-vidas”, esclarece.