Andréa Raupp Alves
Tubarão

A reunião entre os prefeitos de Içara e Jaguaruna com representantes da empresa Sul Catarinense (responsável pelas obras das pontes de Congonhas e Torneiro) resultou em um novo impasse. A empresa exige que seja feito o pagamento do trabalho realizado na ponte no Torneiro (divisa entre Jaguaruna e Içara). O encontro ocorreu ontem, em Içara.

A empreiteira afirma que há uma dívida em aberto desde setembro de 2008, quando foi realizada a última medição da ponte do Torneiro. “Nós realizamos diversas medições e colocamos algumas fundações. Este trabalho custou R$ 280 mil e foi repassado até agora R$ 50 mil”, explica o engenheiro da Sul Catarinense, Luiz Antônio Soares. Ele argumenta que a empreiteira só voltará ao trabalho após as prefeituras quitarem esta pendência.

O prefeito de, Inimar Felisbino Duarte (PMDB), informa que uma nova reunião será feita para analisar os números. Este encontro ocorre amanhã, no balneário Rincão. “Depois de resolver este impasse, será marcada uma data para dar início às obras nas duas pontes (Congonhas e Torneiro)”, acrescenta.

As obras

A construção da nova ponte de Congonhas está orçada em cerca de R$ 900 mil. O convênio foi firmado em 2008. O governo do estado repassou R$ 500 mil, a prefeitura de Tubarão R$ 150 mil e a de Jaguaruna outros R$ 150 mil – esta ficou com a administração dos recursos. A nova ponte de Congonhas (de concreto) terá 85 metros de comprimento, duas faixas para veículos, corrimão e todas as medidas necessárias para segurança dos usuários. Já a ponte do Torneiro, está orçada em R$ 600 mil. O governo do estado entra com R$ 300 mil e as prefeituras de Içara e Jaguaruna com R$ 150 mil cada.