Karen Novochadlo
Gravatal

O único acesso ao bairro Ilhota, em Gravatal, é uma ponte precária de madeira. A prefeitura iniciou a construção de uma nova passagem, de concreto, há dois anos. Contudo, a obra foi parada, retomada este ano e paralisada novamente há alguns meses. Sem este acesso, os veículos precisam andar quilômetros a mais para chegar à comunidade.
A estrutura de madeira não possui grade de proteção, algumas tábuas estão podres e os pregos soltos. Segundo o prefeito Rudinei Carlos do Amaral Fernandes (PMDB), o Nei, a empresa responsável alegou que não tinha condições financeiras de continuar com os trabalhos.
Os recursos enviados pelo governo federal na época foram de R$ 292 mil. A prefeitura entrou com uma contrapartida de R$ 70 mil. Para que a obra não fosse interrompida mais uma vez e um novo edital de licitação precisasse ser lançado, Nei assinou esta semana um aditivo de R$ 40 mil à obra.
Agora, o prazo de término da nova ponte é de quatro meses. As vigas levarão entre 30 e 45 dias para serem terminadas e instaladas. A passagem atual, garante o prefeito, receberá melhorias (troca de algumas tábuas). Contudo, a ponte continuará sem limitação de peso de veículos, também uma reivindicação dos moradores.