Pomerode

No início da tarde dessa terça-feira, 13 de março, uma moradora da Rua Albert Siewert, Claudia Volkmann Siewert, com o auxílio dos bombeiros, encontrou um corpo em avançado estado de decomposição. 

A moradora de Testo Central contou que há pouco mais de uma semana vinha sentido um forte odor na região. Informou aos bombeiros, que empreenderam buscas, mas não obtiveram êxito.

Claudia então entrou em contato com os familiares de um homem que desapareceu há 17 dias em Pomerode. E, quando voltou de seu trabalho nessa terça-feira, resolveu ir até o local de onde vinha o odor. Entrou em contato com os bombeiros e, juntos, iniciaram as buscas, e encontraram o corpo.

Além dos Bombeiros Voluntários, Polícias Civil e Militar, Instituto Geral de Perícias (IGP) e Instituto Médico Legal (IML) estiveram no local. Conforme informações colhidas no local, um fio de telefone estava em uma árvore, próximo ao corpo, e polícia trabalha com as linhas de suicídio e homicídio.

A família do desaparecido, Domingos Meira Sagaz, reconheceu o corpo encontrado na tarde de terça-feira. Agora, a Polícia Civil aguarda o laudo pericial, para poder afirmar qual a causa da morte.

Domingos Meira Sagaz, de 56 anos, desapareceu na manhã de sexta-feira, 23 de fevereiro. Segundo as informações dadas pela família, ele teria saído de casa sozinho, sem seu celular.

O carro dele foi encontrado no sábado, 24 de fevereiro, pela Polícia Militar de Pomerode, nas proximidades da Rua dos Atiradores e Vale do Selke. Dentro do veículo, foram encontrados documentos, confirmando o desaparecimento de Domingos.