A Academia de Polícia Militar da Trindade (APMT) deverá iniciar a produção de videoaulas para a instrução dos policiais militares catarinenses em sua interação junto à comunidade surda. O projeto teve início em reunião no Centro de Ensino da Polícia Militar (CEPM), em Florianópolis, na sexta-feira (19).

O encontro reuniu o comandante da APMT, tenente-coronel Jardel Carlito da Silva, o chefe da Divisão de Ensino do CEPM, tenente-coronel Alfredo Schuch e os cadetes do 1º Curso de Formação de Oficiais (CFO), além do professor Deonísio Schmitt (Chefe do Departamento de Letras/LIBRAS – UFSC), acompanhados da intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras), Larissa Dias, e a da vereadora do município de São José, Cristina de Sousa.

A produção do material ficaria a cargo dos cadetes da APMT. Segundo o tenente-coronel Jardel, “dentro de uma perspectiva de inclusão, a Polícia Militar de Santa Catarina entende ser de grande importância o conhecimento básico de Libras por parte dos policiais militares, em especial em razão da atuação da PM junto à população”.

Ao longo do encontro, os policiais também aproveitaram para esclarecer dúvidas a respeito da Língua Brasileira de Sinais. A reunião também promoveu uma aproximação das partes envolvidas para inserir essa forma de comunicação inclusiva na PMSC.

 

Fonte: Polícia Militar de SC

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul