Priscila Alano
Imaruí

O fechamento de 13 escolas municipais e o remanejamento de professores e alunos em Imaruí têm gerado polêmica na cidade. O prefeito Amarildo Matos de Souza (PMDB) garante que a mudança é necessária para cumprir as normas estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que estabelece o número mínimo de alunos por sala de aula.

“O índice na cidade é em torno de seis alunos por professor, ou seja, há turmas com seis alunos e um professor. Estas turmas podem ter ainda dois professores, se houver aluno portador de necessidades especiais. Pela lei, as turmas devem ter em torno de 18 a 30 alunos, dependendo da faixa etária”, destaca o prefeito.

Conforme Amarildo, em 2000, o município tinha matriculados na rede municipal de ensino dois mil alunos, e contava com 120 professores. No ano passado, apenas 1,5 mil alunos estavam matriculados, e 198 professores. “Reduziu em 25% o número de alunos, e quase dobrou a quantidade de educadores. A mudança é necessária para investirmos mais em educação”, justifica o prefeito.

Amarildo garante o transporte escolar para os alunos que terão que se deslocar para chegar as suas novas escolas. Cerca de 70 professores contratados em caráter temporário terão os seus contratados encerrados.

Os prédios das unidades educacionais ficarão à disposição da comunidade. O prefeito pretende encaminhar um projeto de lei para a câmara de vereadores autorizando nos prédios a instalação de empresas ou entidades não governamentais.