A pesquisa intitulada “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional” já está sendo aplicada em Criciúma. O estudo é financiado pelo Ministério da Saúde e coordenado pela Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul.

A execução do trabalho de campo compete ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE), que conta com equipe de entrevistadores devidamente treinados e qualificados para o trabalho e que terão o auxílio de profissionais da Secretaria de Saúde do município.

O estudo será dividido em três fases, sendo que em cada uma delas 250 pessoas serão testadas. “Eles estão nos informando os bairros que serão aplicados os testes com um dia de antecedência e nós repassamos para os agentes destas localidades. Nossos profissionais prestam o auxílio na localização de residências e moradores”, destaca a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Criciúma, Cristiane Santos da Rosa.

A coleta de dados se dá por meio da aplicação de um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas de Covid-19 nos últimos 30 dias, além da realização de um teste sanguíneo rápido que utiliza metodologia por punção digital.

Nesta segunda-feira (18) foram realizadas coletas nos bairros Ana Maria, Vida Nova e Cristo Redentor.