Zahyra Mattar
Laguna

Após a atuação elogiada do Ibama, que ordenou a retirada dos barcos industriais da costa de Laguna, os pescadores artesanais do município estão até espantados com a quantidade de tainha que capturam em questão de horas. Ontem, mais de 60 toneladas da espécie foram pescadas entre a Barra de Laguna e o Farol de Santa Marta. Somente na praia do Ipuã, foram 30 toneladas.

Para o delegado do Sindicato da Pesca (Sindpesca) de Laguna, Gilberto Fernandes, o momento é de comemoração. “Há mais de dez anos, não ocorria uma pescaria tão farta na região nesta época do ano. Além disso, depois do fracasso na safra do camarão, merecíamos esta ajuda divina, do Ibama e da Polícia Militar Ambiental”, celebra, em tom elogioso ao trabalho ostensivo de fiscalização dos dois órgãos.

Gilberto avalia que a pescaria bem sucedida é fruto, entre outros argumentos, da fiscalização que inibe a pesca predatória de barcos industriais permite um movimento mais intenso dos cardumes próximos à praia. “A Polícia (Militar Ambiental) e o Ibama trabalham com tanto profissionalismo que, desta vez, conseguiremos garantir o sustento do pescador”, pontua o delegado do Sindpesca.

O pescador José da Silva, o Zé, 57 anos, profissional desde sempre, como ele mesmo coloca, também se diz satisfeito. Ele conta que só parou de pescar na praia da Galheta, quarta-feira, porque faltou rede. “Foi tanto peixe que achei que não daríamos conta de tirar tudo aquilo da praia. Eu pesco na Galheta, e lá tivemos até dificuldade em retirar as redes de pesca do mar de tão pesada que estavam. Só não continuamos a pescaria porque faltou rede”, vibra Zé.

Nestes últimos dias, seu Zé tem começado a função às 5h30min. Só volta para casa próximo da 1 hora do dia seguinte. “Esta semana, no pior dia da minha embarcação, tirei mais de cinco toneladas à tarde. Isso foi na quarta-feira, fora o capturado nas redes de arrasto”, confere seu Zé.

Onde comprar
O pescado capturado em Laguna é vendido, principalmente, no Mercado Público, no centro histórico, no Porto Pesqueiro e nos estabelecimento comerciais da cidade.

Estacionamento no Molhes
da Barra é proibido

Após inúmeras reclamações dos turistas, a Guarda Municipal de Laguna (GML) proibiu o estacionamento de carros no Molhes da Barra, na praia do Mar Grosso, na extensão de 1,5 mil quilômetro do ponto turístico. Com o grande fluxo de veículos, a passagem de pedestres e também dos próprios carros estava complicada.
A pesca com o auxílio dos botos em Laguna é um dos maiores atrativos nesta época do ano. O departamento de trânsito da prefeitura já sinalizou o local. Segundo a GML, mais de 100 veículos passam pelo local por dia, especialmente nos fins de semana, para observar a pesca da tainha.