Amanda Menger
Tubarão

Dez minutos depois de chegar em casa, o comerciante Osvaldo Debiasi começou a receber ligações de vizinhos e dos funcionários do Fórum de Tubarão. A lavação Labamba ficou completamente destruída. O telhado foi abaixo e uma parede também ruiu. “Fechei a lavação por volta das 17h10min e, pouco depois de chegar a casa, recebi várias ligações. Eram conhecidos me dizendo que o temporal tinha estragado tudo. Quando cheguei ao local fiquei impressionado. Nunca tinha visto nada igual. Não destruiu nenhum dos veículos dos clientes”, conta Osvaldo.

Segundo ele, para refazer a estrutura da lavação, serão necessários de R$ 15 mil a R$ 20 mil. “Era bem montado, mas isso é o de menos. O importante é que ninguém se machucou”, afirma.

Entre as poucas coisas que o empresário pôde salvar, está um quadro do pintor Willy Zumblick e um relógio de parede. “A tela está molhada, vou retirar da moldura para não perder a pintura”, relata.

Telhado cai sobre dois veículos em Oficinas
Uma Land Rover e um Gol foram atingidos na queda de um telhado. Os dois veículos estavam em uma lavação, na rua Altamiro Guimarães, em Oficinas, Tubarão.

A Land Rover, que custa R$ 400 mil, ficou parcialmente destruída, com diversos arranhões e o teto amassado. O Gol também teve a lataria arranhada. O prejuízo só com o telhado está avaliado em R$ 10 mil.

Árvores destroem dois carros
A força do vento, que chegou a 102,6 quilômetros por hora em Tubarão, arrancou uma árvore no pátio do Clube de Campo. A planta caiu sobre dois veículos. Uma EcoSport com placas de Tubarão ficou parcialmente amassada. Já o Palio Weekend, de Jaguaruna, teve perda total. Um dos galhos da árvore virou uma espécie de seta e perfurou o vidro no lado do caroneiro. Ninguém se feriu.

“Tive que me esconder por causa da chuva”
Durante o temporal da tarde de ontem, as telhas que recobrem a academia da Associação dos Empregados da Eletrosul (Ases) em Tubarão voaram. Com o excesso de chuva, o forro de PVC cedeu e alagou a sala de musculação. Além disso, a força dos ventos fez com que os vidros das portas estourassem.

“Foi tudo muito rápido. Na hora da chuva, estávamos eu e mais um aluno na academia. Nós saímos correndo e nos escondemos na sala de avaliação física, que é mais protegida, já que fica entre a sala de musculação e a de ginástica. Fiquei com medo”, afirma a orientadora física Cris Rodrigues. Com a forte chuva, foram danificados um computador, um aparelho de som e um televisor.

Uma banca de revistas (foto ao lado) na esquina da rua Osvaldo Cruz (do antigo Angeloni) com a Altamiro Guimarães, em Oficinas, virou com a força do vento. Segundo vizinhos, no momento do temporal, não havia ninguém por perto.

Trânsito caótico e prejuízos para motoristas
Tatiana Dornelles
Tubarão*

A ‘visita’ inesperada de um ciclone por Tubarão deixou a cidade em estado de calamidade no fim da tarde de ontem. Em quase uma hora de chuva, ruas e avenidas ficaram completamente alagadas, casas foram destelhadas, árvores arrancadas e placas retorcidas. Em alguns prédios, os vidros das janelas caíram.

A cidade ficou completamente às escuras a partir das 17 horas e a energia só se restabeleceu horas depois. Por volta das 22 horas, alguns bairros ainda estavam sem energia elétrica. Com isso, o trânsito virou um caos e, devido à confusão, a Guarda Municipal e os policiais militares foram acionados para ajustar o tráfego, principalmente na região central. No estacionamento ao lado da Justiça Federal, os telhados caíram em cima de 15 carros e alguns tiveram os vidros estragados. Várias pessoas uniram-se para tirá-los dos destroços.

Somente a Polícia Militar atendeu 23 ocorrências de motoristas que tiveram o carro avariado em ruas alagadas. Na avenida Expedicionário José Pedro Coelho, um muro caiu sobre um veículo. Já na Marcolino Martins Cabral, uma árvore tombou sobre a avenida e um poste caiu sobre um carro.

Além disso, muitas árvores caíram. Uma em cima da ponte do Morrotes, outra em cima dos fios de alta tensão em frente à Unisul. Na avenida José Acácio Moreira, vários galhos ficaram sobre a estrada. Boa parte foi removida por populares e pela Guarda Municipal.

*Com informações de Marco Antonio Mendes e Nathaly Julian.

Dia de chuva, dia de acidentes
Após o forte temporal que atingiu Tubarão na tarde de ontem, o trânsito no centro da cidade ficou confuso. E não foi para menos. Com a queda de energia, as sinaleiras deixaram de funcionar e foi preciso paciência e bom senso dos motoristas.

Um acidente entre uma moto Honda CG 125 de Tubarão e um Palio Weekend de Meleiro deixou o tráfego lento na avenida Marcolino Martins Cabral, próximo ao Farol Shopping. “Fui entrar na avenida e não vi o carro. Acabei voando da moto, mas não me machuquei”, conta o motociclista. O motorista do veículo não se machucou. “Foi só susto”, diz, aliviado.