Wagner Silva
Braço do Norte

Enquanto a Cooperativa de Eletrificação Rural de Braço do Norte (Cerbranorte) aguarda a manifestação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre um aumento de potência, as obras da futura Pequena Central Hidrelétrica (PCH) de Capivari estão paralisadas.

O pedido de aumento de potência de 12 Megawatts (MW) para 18 Megawatts foi protocolado no órgão regulamentador, em agosto de 2008, mas deve demorar até maio para ser analisado. Segundo o diretor de administração financeiro da Cerbranorte Geração S.A., Luiz Carlos Torres, a demora é devido ao grande número de novas PCHs em análise, e a de Capivari aparece em 15º lugar no ranking de prioridades.

“O mercado de PCHs cresceu nos últimos anos e a Aneel possui muitos projetos a analisar”, explica o diretor.
Luiz Carlos considera a mudança benéfica. “Na época, havia um limite de 10 megawatts de produção, hoje é 30. Estaríamos desperdiçando potencial. Por isso, pedimos o aumento, que tranquilamente será aproveitável em rede nacional”, defende Luiz.

O diretor esclarece que somente após a manifestação do órgão será possível reiniciar as obras. “Após, buscaremos as linhas de financiamentos, que estão adiantadas e a mudança nos contratos com fornecedores e clientes. A obra está parada, mas os interessados em visitá-la poderão agendar. Teremos prazer em explicar a situação aos associados”, garante Luiz Carlos.

Indenização
A informação de que a Cerbranorte teria que pagar R$ 13 milhões em indenização, ou multa, em um processo público, não foi confirmada pela a assessoria jurídica da cooperativa.