Alunos da Escola de Educação Básica Dr. Otto Feuerschutte, em Capivari de Baixo, participaram de uma manifestação nesta sexta-feira (29), pela manhã. Cerca de 100 estudantes acompanhados por professores protestaram pelas ruas do município contra o nazismo, à homofobia e ao racismo.

Alguns discentes traziam nas mão cartazes com frases: “Segura o teu preconceito, que a minha felicidade quer passar” e “não basta não ser racista, é preciso ser antirracista”. Na quarta-feira (27), um aluno da instituição de 16 anos, cometeu ataques  à homofobia, ao racismo e fez apologia ao nazismo. No intervalo, ele teve atitudes racistas, desenhou símbolos nazista no quadro e postou esses símbolos em suas redes sociais.

Após cometer o ato infracional, o estudante não retornou à escola. Na quinta-feira (28), os alunos foram de camiseta preta em forma de protesto e nesta sexta-feira, foi realizada a passeata em parceria com a pastoral afro do município. De acordo com o assistente de direção da unidade escolar, Agnaldo Vieira, este é o primeiro ano do adolescente na  Escola de Educação Básica Dr. Otto Feuerschutte.

Ao Portal Notisul, Agnaldo contou na quarta-feira, que um Boletim de Ocorrência (BO) tinha sido registrado em fevereiro e posteriormente foi realizada uma denúncia no Ministério Público (MP) e acionado o Conselho Tutelar. Inclusive quando o ato infracional ocorreu há dois dias, as conselheiras tutelares estavam na instituição para obterem mais informações dos atos praticados pelo aluno.

Também ao Notisul, o profissional de educação pontuou, que a Polícia Militar (PM) foi chamada para conter os discentes que ficaram revoltados com as manifestações de racismo e apologia ao nazismo praticadas pelo adolescente de 16 anos. “Eles queriam resolver esse assunto com violência, porém a instituição de ensino conseguiu contornar a situação. Estamos preocupados e não podemos admitir atos como apologia ao nazismo, à homofobia e ao racismo”, finaliza Agnaldo.

A passeata teve início às 8h. Os manifestantes saíram em frente ao portão da escola, no centro e seguiram até à Câmara de Vereadores, também no centro do município. O protesto tem o intuito de cobrar posicionamentos mais assertivos diante do caso de racismo, homofobia e nazismo.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul