Tubarão

A evolução das obras de construção da passarela de concreto chama a atenção de quem passa pelas avenidas Marechal Deodoro (margem direita) e José Acácio Moreira (margem esquerda) ou sobre a ponte pênsil. Entre tantas mudanças e novidades no cenário, destacam-se as primeiras estacas no leito do rio Tubarão e a sapata de apoio da cabeceira da margem direita.

Praticamente todo canteiro de obras se concentra na margem direita, onde há mais espaço para a circulação de máquinas, veículos e operários, além dos materiais e equipamentos de toda a natureza. A limpeza do espaço na margem esquerda foi iniciada e o local deve receber materiais nos próximos dias.

Uma das peças mais adiantadas do canteiro é a sapata de apoio da cabeceira da passarela na margem direita. Parte da estrutura foi concretada e os operários preparam as ferragens para a concretagem da última parte. Com o surgimento desse componente estrutural é possível ter uma noção da dimensão do espaço que pedestres, ciclistas e cadeirantes terão na futura travessia.

As primeiras estacas no leito do rio foram cravadas no local onde será levantada uma das primeiras colunas de sustentação da passarela. Parte das colunas pré-moldadas está no canteiro.

A passarela terá um custo de R$ 3,6 milhões, dos quais R$ 2.959.894,63 são recursos da prefeitura e R$ 700 mil disponibilizados pela Defesa Civil Nacional. O prazo de conclusão da obra é 31 de dezembro deste ano.