#Pracegover Foto: há um cão e uma almofada
#Pracegover Foto: há um cão e uma almofada

Quem tem um animal de estimação em casa sabe que é necessário ter atenção à saúde e o bem-estar destes seres. O tutor que possui um cachorro, por exemplo, deve estar atento a parvovirose canina e outras que podem ser evitadas com alguns cuidados básicos.

A parvovirose é uma doença canina de alta letalidade que pode comprometer a chegada dos próximos cachorros que possa ser levados para a residência, já que o vírus fica no ambiente. De acordo com o médico veterinário, Angelo Toigo Bortoncello, apesar de alguns cães conseguirem sobreviver à doença que destrói sua mucosa intestinal, o vírus pode permanecer no local por um longo tempo. “Os pacientes deixam de se alimentar, começam a perdes peso, diarreia com sangue”, expõe.

A doença se manifesta de duas formas: um problema gastrointestinal grave ou uma miocardite aguda, que pode levar à morte súbita de filhotes. Apesar de grave, a enfermidade pode ser prevenida. Ela comete principalmente os cães mais jovens, como os filhotes, já que estes apresentam imunidade mais frágil e caso não sejam vacinados logo no período inicial de vida.

Depois da contaminação, os sintomas costumam aparecer após 7 a 14 dias. Nesse sentido, é importante destacar que nem todos os cachorros que entram em contato com o vírus desenvolvem a doença.

Ao contrário de outros agentes virais que sobrevivem por apenas algumas horas fora do organismo do hospedeiro, o parvovírus pode permanecer por meses a fio no ambiente, sobrevivendo em objetos como comedouros, roupas, cobertores e até no piso. Daí a importância de fazer a limpeza desses acessórios e espaços com regularidade.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul