Tubarão

O projeto de retirada do muro conhecido como paredão dos Correios, no centro de Tubarão, começará a sair do papel em março do próximo ano. A notícia foi repassada à presidenta da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Eliane Fernandes, pelo coordenador de vendas da agência local da empresa, Ivo Fratoni.

A obra, inicialmente avaliada em R$ 400 mil, será executada por um pouco mais: cerca de R$ 500 mil. Com isso, a calçada, hoje bastante limitada, será refeita, mudará o visual da avenida Marcolino Martins Cabral e ainda privilegiará o próprio prédio dos Correios, cujo acesso, atualmente, é feito exclusivamente pela rua Coronel Cabral.

Hoje, o recuo da calçada é de 1,20 metro. Com a obra, será de 2,50 metros. Pelo projeto, será feita uma escada de acesso pela avenida Marcolino Martins Cabral. É estudada também a implantação, em um segundo momento, de uma plataforma elevatória para atender usuários com dificuldades de locomoção.

Desde 2001, a CDL pleiteia uma solução para o impasse. O desfecho é reflexo do trabalho desenvolvido no ano passado pelo então presidente Walmor Jung Júnior, e uma comitiva formada por representantes da Associação Empresarial (Acit), Sindilojas, prefeitura e Associação das Donas de Casa e Consumidores (Adocon) de Tubarão.