#Pracegover foto: na imagem há uma mão e frascos de vacina
#Pracegover foto: na imagem há uma mão e frascos de vacina

Combater a pandemia de Covid-19 com doses de reforço das vacinas atuais não é uma estratégia viável, alertaram nesta terça-feira especialistas da Organização Mundial da Saúde. Eles pediram vacinas que previnam melhor a transmissão. “É improvável que uma estratégia de vacinação baseada em reforço reiterados das primeiras vacinas seja apropriada ou viável”, diz em comunicado o grupo de especialistas encarregado de supervisionar as vacinas contra o coronavírus.

Além disso, esses especialistas consideram “que vacinas contra a Covid-19 de elevado impacto em termos de transmissão e prevenção da infeção, além de prevenir formas graves de doença e morte, são necessárias e devem ser desenvolvidas”. Isso limitaria o impacto da Covid em termos de saúde, mas também “a necessidade de medidas sanitárias e sociais rigorosas e em grande escala”, argumentam.

“Enquanto aguardamos a disponibilização de tais vacinas, e à medida que o vírus SARS-CoV-2 evolui, pode ser necessário atualizar a composição das vacinas anticovid atuais, a fim de garantir que (elas) continuem a fornecer os níveis de proteção recomendados pela OMS contra a infecção e a doença” causadas por variantes, incluindo a ômicron.

Pouco mais de seis semanas após sua identificação na África do Sul, os dados de vários países convergem em dois pontos: a ômicron – que se enquadra na categoria de variantes preocupantes da OMS – é transmitida muito mais rápido do que a variante antes dominante, a Delta, e parece causar formas menos graves da doença.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Correio do Povo