Tubarão

A Semana da Adoção 2019 será marcada por uma palestra com o tema ‘Conversando sobre adoção’, em Tubarão, promovida pelo curso de Direito da Unisul, poder Judiciário de Santa Catarina, com o apoio da Comissão da Infância e Juventude e do Idoso da subseção de Tubarão. A ação ocorrerá na quarta-feira da próxima semana, às 19h30, no Salão Nobre da Unisul.

Uma das palestrantes será a promotora da Infância Juventude da comarca de Tubarão, Roberta Magioli Meirelles, que abordará o tema: ‘As mudanças no Estatuto da Criança e do Adolescente e suas aplicações no Processo de Adoção’. O psicólogo forense da comarca de Florianópolis, Ricardo Luiz de Bom Maria, falará sobre: ‘Os Impactos da violência doméstica no desenvolvimento de criança e adolescentes’. Participará também do evento a presidente do Grupo de Estudos e Apoio a Adoção Filhos para sempre de Tubarão, Noeli Toledo. A palestrante discorrerá sobre: ‘A contribuição dos Grupos de Estudos e Apoio a adoção nas atitudes adotivas na Sociedade’.

Conforme o coordenador do curso de Direito, Maurício Zanotelli, a palestra é importante para difundir no meio acadêmico e na sociedade a necessidade do instituto da adoção. “A adoção é um instituto romano muito antigo, que antes servia para a satisfação do pai para que ele pudesse passar os seus bens e dar continuidade a sua família e com o passar dos anos essa situação se transformou radicalmente. Hoje, ela só pode ser feita de forma judicial e tem por meta estabelecer a filiação. O principal beneficiário é a criança, adotada. A importância é que os menores constituem uma família por intermédio da adoção”, explica.

Zanotelli afirma que é importante que as pessoas conheçam a adoção. Segundo ele muitos se lançam em tratamentos de fertilização, quando se há uma via amorosa, que é da adoção. “Para quem conhece esse instituo sabe que o sentimento de amor que une os pais adotantes e a criança é igual ao sentimento de pai e filho biológico. Esse ato coroa e constitui a família”, pontua.

O coordenador destaca que a participação dos acadêmicos é necessária por ser apropriado o conhecimento e também para difundir como futuros profissionais. “É um tema que chama atenção, atual e na sociedade ele se reveste de uma importância fundamental para discutir e conhecer mais e difundir o instituto na sociedade”, finaliza.

No Brasil, o Dia Nacional da Adoção foi oficializado a partir do decreto de lei nº 10.447, de 9 de maio de 2002. Esta lei instituiu o 25 de maio como data oficial de celebração do Dia da Adoção no país. Originalmente, o 25 de maio foi declarado Dia Nacional da Adoção (a nível não-oficial) durante o 1º Encontro Nacional de Associações e Grupos de Apoio à Adoção, em 1996.