A Arquidiocese de Natal afastou nesta sexta-feira (3) o padre Júlio Cezar Souza Cavalcante após vazamento de um áudio em que o sacerdote confessa que manteve relações sexuais com um homem. Na gravação, o padre diz que ele e o rapaz fizeram sexo oral enquanto o homem ainda era noivo. A cerimônia de casamento foi celebrada por Júlio.
Depois da união, o rapaz contou à esposa sobre o que aconteceu, e os dois procuraram o padre. A conversa entre os três foi gravada por cerca de dez minutos. No áudio, a mulher revela que já sabe da traição e pede a anulação da união. Na tentativa de se justificar Júlio respondeu: “Foi uma fraqueza. Nós nos confessamos e prometemos que não ia ter mais, em respeito até a você”.
Segundo o padre, os dois tiveram relações sexuais “umas duas ou três vezes”, já o o homem afirma que o relacionamento foi mais longo do que isso. “Foram várias vezes, durante mais de um ano. Foi de março de 2010 a julho de 2012”, disse o rapaz. O homem também disse que houve sexo anal entre os dois, mas o sacerdote alegou que não lembrava disso, admitindo que houve apenas sexo oral. “E ainda assim o senhor aceitou testemunhar o nosso casamento”, lamentou a mulher.
“Eu tenho o maior carinho e o maior respeito por vocês”, respondeu Júlio. O sacerdote também contou que buscou a conversão e que nunca mais fez sexo com outro homem. “E tenho certeza que ele também não fez”, afirmou o padre. No entanto, o rapaz não pôde confirmar a aposta do sacerdote. “Fiz várias vezes e não me confessava”, contou o homem.
“Ele me traiu por mais de dez anos e ainda permitiu que o senhor realizasse meu ‘pseudocasamento’. Meu casamento não é válido!”, afirmou a esposa. Ela ainda alegou que o marido a traía “com qualquer um”, em diferentes locais, como cinema pornográfico e sauna. “Não me procurava na cama, mas procurava homens”, contou a mulher. Segundo ela, “era tudo premeditado, pois já fazia perto da Catedral para se confessar”.
A gravação circulou pelas redes sociais até chegar ao conhecimento da Arquidiocese de Natal, que determinou o afastamento do padre. Em nota, a instituição afirmou que suspendeu o padre de suas atividades até que o caso seja apurado e as devidas providências sejam tomadas. A Arquidiocese também informou que abriu uma investigação prévia para apurar as possíveis responsabilidades.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Jornal O Dia