O padrasto das crianças que morreram no incêndio de um casarão em Paraty, na manhã desta sexta-feira, queria se livrar dos menores para viver sozinho com a companheira. A informação é do titular da 167ª DP (Paraty), o delegado Marcelo Russo. O suspeito foi preso horas depois do crime.

As investigações passaram a apontar o padrasto das vítimas como responsável pelo incêndio, após o laudo da perícia descartar que as chamas começaram por acidente. Sete testemunhas foram ouvidas, incluindo a babá das crianças, uma das avós e vizinhos.

“Ouvimos o depoimento dele, que apresenta várias contradições. Ele tinha alguns problemas com drogas, além de não admitir que não gostava das crianças, dizia que davam muito trabalho. Foi por conta de ciúme cometeu esse crime”, explicou o delegado, dizendo que o homem colocou fogo em colchão atrás da porta, trancou a mulher no banheiro e as crianças em outro cômodo para dificultar a fuga delas.

As vítimas Marya Alice de Almeida Santos da Conceição, de 4 anos, Cauã de Almeida Santos da Conceição, 5, e Marya Clara de Almeida Santos, 7, chegaram a ser socorridas por vizinhos, mas não resistiram. 

A mãe deles, Dara de Almeida Santos de Souza, 25, segue internada em estado grave no Hospital Municipal de Praia Brava. Ela precisou ser entubada por ter inalado muita fumaça.