Políticos de oposição ao presidente Jair Bolsonaro e personalidades críticas ao governo impulsionaram, na manhã desta quinta-feira (28/2), tag #PresidenteLaranjaNuncaMais, que se tornou o assunto mais comentado do Twitter no Brasil. A expressão é referência às denúncias de candidaturas laranja no PSL, partido do presidente, durante as últimas eleições.

A campanha foi lançada pelo ator José de Abreu. Apoiador histórico do PT, Abreu já havia usado o Twitter na última segunda-feira (25/2), para se autoproclamar presidente do Brasil, uma provocação ao presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, que é apoiado pelo governo brasileiro em detrimento de Nicolás Maduro. A brincadeira, popularizada com a tag #ZeDeAbreuPresidenteDoBrasil, cativou aos poucos políticos de oposição.

A deputada federal Margarida Salomão (PT-MG) entrou na brincadeira e se autointitulou presidente da Câmara dos Deputados. Se valendo do cargo fictício, informou “que a casa integra oficialmente os esforços para subir a tag #PresidenteLaranjaNuncaMais, sugerida pelo exmo. Sr. Presidente Zé de Abreu”, escreveu, marcando o ator no tuíte.

Outro petista que aderiu à campanha foi o deputado federal pelo Paraná Enio Verri, que aproveitou para criticar a proposta de reforma da Previdência. “Estabelecer 40 anos de contribuição ininterruptos para um trabalhador rural ter direito a 100% da aposentadoria é condená-lo a trabalhar até a morte”, escreveu. Outros deputados federais, como Helder Salomão (PT-ES) e Erika Kokay (PT-DF) também aderiram à #PresidenteLaranjaNuncaMais.