Florianópolis

O vice-governador Leonel Arcângelo Pavan foi denunciado na tarde de ontem, pelo procurador geral de justiça, Gercino Gerson Gomes Neto, por suposto envolvimento em esquema de corrupção.

Foi ajuizada denúncia também contra o diretor-geral e o diretor de administração tributária da secretaria estadual da fazenda, Pedro Mendes e Anastácio Martins; a advogada Vanderléia Aparecida Batista; o médico Armando Taranto Júnior; e os empresários Marcos Pegoraro e Eugênio Rosa da Silva. Todos foram indiciados no inquérito policial que versou sobre a “Operação Transparência”, originário da Polícia Federal, tratando de um esquema de corrupção que visava beneficiar, no âmbito tributário, a empresa Arrows Petróleo do Brasil Ltda. Segundo a denúncia, a empresa teria efetuado o pagamento de R$ 100 mil para reabilitar a sua inscrição estadual cancelada pela secretaria da fazenda.

Gercino disse ontem à imprensa que o trabalho efetuado pela Polícia Federal na condução do inquérito foi “extremamente técnico, profissional e competente”. E ressaltou que o Ministério Público catarinense age com o mesmo rigor em relação ao cidadão mais comum e ao cidadão detentor da maior qualificação, pois “todos são cidadãos e têm o dever de cumprir as leis do país”.

O outro lado

Em nota oficial encaminhada à imprensa, o vice-governador pediu tranquilidade ao povo catarinense e garantiu que demonstrará de maneira clara a isenção em relação a qualquer fato que possa ser considerado ilegal. Assegurou que não cometeu ou permitiu que fosse cometido, direta ou indiretamente, qualquer ato ilegal, tanto no exercício do poder público, como nos atos da vida privada. “Sou o maior interessado na apuração da verdade. Tudo farei para que haja clareza e rapidez, observando todos os rigores do devido processo legal e conduzido pelas instituições competentes, evitando-se a instrumentalização de procedimentos jurídicos como ferramenta de alcance político”.

Leonel também debafou no Twiter e deixou frases como “prova de que tem gente querendo me prejudicar”, “Espero com tranquilidade que a justiça se manifeste. O rio segue o seu curso”. O governador Luiz Henrique da Silveira disse ontem ao Notisul, via assessoria de imprensa, que mantém o seu apoio a Pavan e acredita em sua versão. Ele passa o cargo para o vice-governador no dia 5 de janeiro, data em que entra em férias. Em abril, Pavan assume definitivamente o governo.