Laguna

A assinatura da ordem de serviço para implantação do emissário terrestre no Mar Grosso, o  repasse de R$ 351 para o Hospital de Caridade Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos e a estadualização do terminal Pesqueiro, em Laguna, foram alguns dos atos do governador Carlos Moisés no município. Acompanharam a ação deputados estaduais e federais, lideranças e autoridades municipais e regionais. O evento ocorreu no pavilhão do terminal Pesqueiro.

A diretora-presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, e o chefe do poder Executivo estadual assinaram a ordem de serviço, que autoriza o início da implantação de um emissário terrestre de esgotamento sanitário. Ao apresentar o investimento no valor de R$ 1,89 milhão, a engenheira Roberta observou que o emissário – com 2.718 metros de extensão – dará mais segurança à operação de todo o Sistema de Esgotamento Sanitário do município, ao transportar o esgoto coletado na Bacia A (que abrange a praia do Mar Grosso) até a Estação de Tratamento da Vila Vitória. A nova rede evitará a repetição de obstruções, como a que ocorreu no verão passado.
 
Em paralelo à implantação da rede, a empresa Incosan Engenharia Ltda, vencedora do processo licitatório, substituirá bombas da Estação Elevatória A, instalará novo gradeamento e providenciará a urbanização e paisagismo do local, uma área nobre de Laguna, a 100 metros da praia. O engenheiro Alcides Pazetto, sócio-proprietário da Incosan, recebeu a ordem de serviço.
 
Moisés agradeceu à Companhia pela licitação e execução dessa obra,  lembrando que o emissário vai melhorar ainda mais a prestação de serviços da empresa no município, especialmente no verão quando a população aumenta significativamente e o volume de esgoto coletado praticamente triplica. A expectativa da Casan é concluir a obra até janeiro.
 
O prefeito Mauro Candemil afirmou que estava muito agradecido com a atenção que os pleitos do município tem recebido da atual diretoria da empresa, uma gentileza que, segundo ele, também é característica da equipe que atende na Agência local.
 
 
Estadualização do porto
 
Assinatura da minuta do convênio de delegação da estrutura portuária pelo governo do Estado para que a administração do TPPL passe da gestão da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) para a autarquia estadual SC Par. Assinaram o documento o secretário nacional dos Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloli e Silva; diretor geral da agência nacional transporte aquaviários, Mário Povia; presidente da SC Par, Gustavo Fabiano e diretor do SC Par Fábio Ramalho.”Poderá Laguna ter um alcance ao nível da sua necessidade seja social, econômica e financeira”, acredita o prefeito Mauro Candemil.
 
A SCPar Porto de Imbituba é uma empresa pública do Estado de Santa Catarina, subsidiária do acionista único SC Participações e Parcerias. Para o atual administrador do terminal, Evandro Almeida, a estadualização deve ser, sim, a melhor decisão para o local. O terminal possui cais com 300 metros de expansão, com dez cabeços de atracação e três esteiras de recepção de pescados.
 
De janeiro a agosto do ano passado, foram descarregados 2,4 mil toneladas de pescados (sardinha, tainha, abrótea, corvina e outros). O canal de acesso ao terminal tem, aproximadamente, 2,2 mil metros de extensão, desde a Barra dos Molhes até o terminal. Está localizado no Canal da Lagoa Santo Antônio dos Anjos.
 
O documento é uma redação provisória de um acordo, onde aparecem todas as negociações das partes contratadas. Após, confirmadas as tratativas ou realizadas alterações em alguns parágrafos, com concordância das partes, será elaborado um contrato formal.
 
“Assistia o povo de Laguna como uma injustiça histórica. Santa Catarina captura muito peixe, e Laguna, apesar de ter sua natureza histórica e turística tem vocação, e um bom porto para funcionar adequadamente e gerar emprego e renda para as famílias”, destacou  Moisés.
 

Hospital
 
O governador firmou a proposta de adoção de providências para o repasse de R$ 351 mil para o custeio manutenção do hospital de Laguna. “Queremos incluir o hospital de Laguna na nova política hospitalar do governo do Estado, possibilitando o constante repasse de valores. Esse ano será 351 mil. Estamos fazendo a entrega do recursos mas cobrando que o hospital nos dê bons desempenhos”, observa.