Tubarão

O avanço mínimo das obras de duplicação do trecho sul da BR-101 preocupa a classe empresarial e política do estado. O desenvolvimento da região passa por cima desta estrada e, consequentemente, a continuidade do crescimento da região está condicionado, seja de uma forma ou de outra, ao término da obra, que se arrasta desde 2005.

Nesta sexta-feira, a comissão da Marcha pela Duplicação da BR-101, presidida pelo ex-vereador Wagner Pereira Pizzetti (PDT), de Içara, e representantes do Fórum Catarinense pela Duplicação, coordenado pelo deputado estadual Manoel Motta (PMDB), promovem a segunda vistoria das obras desde Osório, no Rio Grande do Sul, até Palhoça. Tubarão será representada pelos vereadores Edson Firmino (PDT) e Evandro Almeida (PMDB).

A programação começa às 8h30min, em Osório (veja o restante do programado no quadro ao lado). A partir de hoje, o presidente da câmara de Tubarão, João Gonçalves Fernandes (PSDB), acionará ONGs, associações, sindicatos, empresas e outras entidades afins para, sexta-feira, promoverem uma manifestação pacífica, pró-duplicação, em Tubarão, às 16 horas, sob a construção do viaduto no trevo principal (da avenida Patrício Lima).

Os primeiros estudos de viabilidade da duplicação do trecho sul da BR-101, em Santa Catarina, começaram em 1994. Foram concluídos quatro anos depois. Em 1999, iniciou a fase de elaboração do projeto de engenharia e o licenciamento ambiental. As obras, mesmo, começaram em 2005 e cada vez o fim fica distante: era 2008, é 2009, será 2010?

Avanço foi de 2% nas obras em Tubarão
No trecho de Tubarão, a única evolução na obra de duplicação foi 2% na construção do viaduto do acesso norte. Pelos dados conferidos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit), observados nos lotes 24, 25 e 26, entre Imbituba e Jaguaruna, as obras não andaram em março. A única diferença nos números é com relação à quantidade de metros que receberam pavimentação asfáltica, no lote 24, da Construcap, em Imbituba: 250 metros. Em janeiro, eram 21,50 quilômetros e, em fevereiro, 21,75 quilômetros.

As obras de arte, como viadutos e passagens inferiores e de pedestres, tiveram poucas modificações. No lote 26, da Triunfo, em Tubarão, a única diferença é no viaduto duplo de acesso norte, que passou de 96% de evolução (em fevereiro) para 98% (em março). Nos lotes 24 e 25, de Imbituba e Laguna, o cenário é o mesmo. A justificativa para a lentidão é a mesma: o excesso de chuvas e a falta de condições financeiras das empreiteiras.

Programação
• 8h30min – Saída da comissão da cidade de Osório, no Rio Grande do Sul.
• 14h15min – Entrega de panfletos no posto da Polícia Rodoviária Federal em Tubarão.
• 16h15min – Balanço do resultado vistoriado no trecho entre Osório e Tubarão.
• 17 horas – Continuação da vistoria até Palhoça.

Ao término da vistoria, os membros da comissão retornarão a Araranguá, onde, no dia seguinte, elaborarão um documento para ser encaminhado ao ministro dos transportes, Alfredo Pereira do Nascimento.