A ordem de serviço para a construção da ponte de Congonhas foi assinada ontem, em Jaguaruna, com a presença do vice-governador do estado, Eduardo Pinho Moreira  - Foto:Secom/Divulgação/Notisul
A ordem de serviço para a construção da ponte de Congonhas foi assinada ontem, em Jaguaruna, com a presença do vice-governador do estado, Eduardo Pinho Moreira - Foto:Secom/Divulgação/Notisul

 

Angelica Brunatto
Jaguaruna
 
Após a entrega da ordem de serviço para a construção da ponte de concreto sobre o Rio Congonhas, a expectativa é que as obras iniciem logo. De acordo com o prefeito de Jaguaruna Inimar Felisbino Duarte, a empresa Souza & Esmeraldino deve iniciar os primeiros trabalhos já na próxima semana.
 
A autorização foi entregue ontem, em cerimônia, que contou com a presença de autoridades regionais e do vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB). “Depois de muita luta, esta é uma batalha vencida, uma conquista”, comemora o prefeito Inimar. 
 
A empresa vencedora tem até o fim deste ano para e executar a obra. “A ponte pronta irá alavancar o turismo e agricultura. Será de grande importância tanto para Jaguaruna quanto para Tubarão”, relata Inimar.
 
A nova travessia, com 42 metros de extensão, uma faixa de rolamento e passagem para pedestres, será construída sobre o rio que demarca os limites entre a Cidade Azul e Jaguaruna. A obra custará R$ 744.591,80, preço menor do que o da saída do edital: R$ 930 mil.
 
O governo catarinense entrará com R$ 600 mil. As prefeituras de Tubarão e Jaguaruna dividirão igualmente o restante (ficará R$ 92.704,10 para cada uma).
 
Enfim, o fim
A construção de uma passagem de concreto sobre o Rio Congonhas, na divisa entre Tubarão e Jaguaruna, é reivindicada desde 2006. A ordem de serviço chegou a ser assinada em 2008. Porém, a obra estava atrelada a outra, a ponte de Torneiro, na divisa de Jaguaruna com Içara.
Na época, a prefeitura de Tubarão chegou a repassar R$ 50 mil para Jaguaruna. O trabalho começou e parou logo em seguida. O dinheiro do convênio foi devolvido.
Em 12 de setembro de 2009, engenheiros da prefeitura de Tubarão interditaram a passagem. O motivo era o estado precário da passagem. Conforme um laudo, não existia possibilidade de reformar a travessia de madeira. Barreiras foram colocadas pelo lado tubaronense, mas foram retiradas pelos moradores e usuários da estrada. 
Em janeiro deste ano, o empresário Beto Lima caiu da travessia. Após um novo laudo emitido pela Defesa Civil de Tubarão, a ponte voltou a ser interditada em 25 de janeiro. Depois de um incêndio, a ponte foi reformada e voltou a ser liberada na véspera do Carnaval, em 17 de fevereiro.