Zahyra Mattar
Laguna
 
Segue indefinido o começo dos trabalhos de pavimentação da SC-100, entre a balsa de Laguna e o Camacho, em Jaguaruna, com um ramal ao Farol de Santa Marta. A ordem de serviço foi entregue no dia 19 de dezembro do ano passado.
 
Desde então, tudo está em ‘banho-maria’. Com a troca de governo, o prazo de início, previsto para o último dia 15, foi abortado. Não há nova data definida por ora. O motivo é que o orçamento do estado ainda não foi aberto.
 
A prática é comum sempre que há troca de comando. Geralmente no mês de janeiro, nenhum recurso é empenhado, a menos em caso de urgência – como os liberados para as cidades fortemente atingidas pelas chuvas.
 
Como não há data de abertura do orçamento, o início das obras na SC-100 terão que esperar, assim como outras com ordem de serviço entregue no fim de 2010.
É possível, inclusive, que isto ocorra somente após o Carnaval, ou então comece no próximo mês, mas de forma tímida, de uma maneira que não interfira diretamente no acesso, bastante utilizado pelos moradores locais e turistas nesta época do ano.
 
O que há de garantia é que a obra ocorrerá ainda neste primeiro trimestre. Conforme o Notisul antecipou em dezembro, os trabalhos asfálticos iniciarão a partir da balsa, em Laguna, como deseja a comunidade. E paralelamente será feito o serviço no ramal ao Farol de Santa Marta.
 
A rodovia
A SC-100 é um dos trechos integrantes de um projeto muito antigo do governo do estado: a efetivação da chamada rodovia Interpraias. Visa interligar o litoral sul catarinense por uma rodovia turística, entre Laguna e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul. O projeto foi dividido em cinco lotes. O primeiro a ficar pronto foi o trecho 4: a estrada do Camacho, cuja inauguração ocorreu em outubro de 2009. O segundo será a parte referente a Laguna (trecho 5). Os três primeiros lotes não têm previsão de quando serão feitos.
 
As empresas
A parte em asfalto compreende o trecho de 15,540 quilômetros entre a balsa, em Laguna, e o Camacho, em Jaguaruna. A obra será executada pela Construtora Setep, de Criciúma. O valor do trabalho ficou em R$ 20.929.047,40.
Já a A. Mendes, de Gravatal, terá a missão de pavimentar, com paralelepípedos, os 2,280 quilômetros de acesso ao Farol de Santa Marta. O valor licitado foi de R$ 2.770.115,66.
O Plano Ambiental Básico e a supervisão dos trabalhos serão feitos pela Prosul, de Palhoça. A empresa venceu as duas licitações. A primeira custará R$ 4.263.961,85 e a segunda receberá investimento de R$ 2.492.353,44. A previsão de término dos serviços em ambos os lotes é de um ano.