O verão que começou em 22 de dezembro de 2019 termina no dia 20 de março de 2020, às 00h50min.

Os meses de janeiro e fevereiro proporcionaram chuva volumosa para grande parte do Brasil, mas especialmente para os estados da Região Sudeste. O excesso de chuva no verão 2019/2020 já era esperado para muitas áreas do país, bem como falta de chuva na Região Sul. 

Os eventos de ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul – e vários episódios de intensa convergência de ventos formando os corredores de umidade do Norte para o Centro-Oeste e Sudeste geraram fortes e persistentes áreas de instabilidade sobre estas Regiões.

A Zona de Convergência Intertropical – ZCIT – com posicionamento mais ao sul de sua posição média normal para esta época do ano – vem proporcionando muita chuva sobre a Região Nordeste  do Brasil e parte da Região Norte.

O mês de março começa com mais um evento de convergência de umidade que vai gerar grandes áreas de instabilidade sobre o Sudeste e o Centro-Oeste, causando novamente chuva forte e volumosa em vários locais.

Um destes episódios já ocorreu na cidade do Rio de Janeiro, onde a chuva muito forte e volumosa entre o fim da noite do dia 29 de fevereiro e a manhã do dia 1 de março de 2020 causou deslizamentos de terra e enchentes, com duas mortes confirmadas.

Confira a tendência geral para o mês de março em cada Região do Brasil:

Região Sul

Não há expectativa de melhora do quadro de chuvas em março. A tendência seca e quente continua por todo o mês. Há previsão de duas frentes frias avançando, uma próxima ao dia 15 e outra no fim do mês. Mas, apenas com esses eventos, não há prognóstico de melhora de chuvas.

Região Sudeste

O cenário muda um pouco em relação à fevereiro, os corredores de umidade continuam se formando, mas agora atingem áreas mais ao norte da Região. Por isso, desta vez todo o estado de SP, do RJ e triângulo mineiro ficam com chuva entre a média e ligeiramente abaixo. Nas outras áreas da Região, incluindo as capitais BH e Vitória, a chuva fica acima da média. 

Região Centro-Oeste

A expectativa também é de que os corredores de umidade se formem cada vez mais ao norte da Região. Por isso são esperados episódios de invernadas no centro norte de GO e DF, e no centro norte do MT. Nas outras áreas, a previsão é de que a chuva fique ligeiramente abaixo da média, caindo em forma de pancada isoladas. Nessas áreas mais ao sul desses estados e no MS inclusive, há risco de veranicos.

Região Norte

A chuva é abundante na maior parte da Região Norte, a previsão é de que as pancadas sejam frequentes, acontecendo quase todos os dias. A proximidade da ZCIT, que se posiciona ao sul de sua posição média histórica, traz previsão de grandes acumulados para o PA e para o AP.

Região Nordeste

Por causa do posicionamento da ZCIT ao sul de sua posição climatológica, há previsão de que toda a costa norte nordestina tenham acumulados bem acima da média histórica. Em quase todas as outras áreas da Região, a previsão é de chuva acima da média, com exceção de uma pequena faixa que abrange SE, AR, e centro-norte do litoral baiano. 

Foto: Mirna Graciela/Tubarão