Urologista Daniel Iser, da Pró-Vida, alerta que o preconceito quanto aos exames para o diagnóstico precoce do câncer de próstata é o principal inimigo.
Urologista Daniel Iser, da Pró-Vida, alerta que o preconceito quanto aos exames para o diagnóstico precoce do câncer de próstata é o principal inimigo.

Tubarão

Em 2009, o Ministério da Saúde lançou a campanha de atenção à saúde do homem. Por falta de cuidados consigo, estima-se que os homens vivam cerca de sete anos a menos do que as mulheres.

Muitos não sabem, apesar do amplo acesso às informações, que há um médico especializado nos cuidados relacionados à saúde masculina. O urologista é esse especialista.

“Até pouco tempo, o público masculino não tinha essa referência, diferentemente do caso da mulher, que já tem o hábito de buscar orientação do ginecologista anualmente ou sempre que apresenta algum problema”, destaca o urologista Daniel Iser, da clínica Pró-Vida, de Tubarão.  

Os exames de toque retal e o teste Antígeno Prostático Específico (PSA, da sigla em inglês) são combinados para favorecer um diagnóstico completo ao paciente. “Isolados, esses exames não conseguem fornecer um diagnóstico seguro. Homens acima de 40 anos, principalmente os que tenham histórico familiar da doença, devem submeter-se a estes exames”, alerta Daniel.

O problema está justamente no preconceito. A maioria dos homens nega-se a buscar ajuda, mesmo com os sintomas aparentes. Os motivos são os exames, especialmente o de toque retal.

Além de ser indispensável, este exame, ao contrário do que pensa a maioria, é simples, indolor e rápido. “A doença tem altos índices de cura, desde que descoberto em sua fase inicial”, considera o especialista.

Sinais de alerta
Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é um dos mais incidentes entre os homens brasileiros de todas as regiões do país, fica atrás somente do câncer de pele não maligno. Fique atento ao apresentar um dos sintomas abaixo. Podem indicar diversas doenças urológicas. Busque o auxílio de um especialista:

• Ardência e dificuldade para começar a urinar;
• Levantar-se mais de duas vezes durante a noite para ir ao banheiro;
• Presença de sangue na urina.