Amanda Menger
Tubarão

As discussões em torno da construção do novo presídio regional voltaram com mais força ainda após a tentativa de fuga e rebelião ocorridos neste fim de semana em Tubarão (confira a reportagem na página 19). Com o acordo rompido entre governo estadual e prefeitura para aquisição do terreno, a secretaria do estado de segurança pública e defesa do cidadão quer retomar o diálogo com a indicação da área. “Reafirmo o que disse em Tubarão na sexta-feira. É preciso que indiquem o terreno, não podemos construir onde não há apoio da prefeitura”, enfatiza Ronaldo Benedet.

Para o secretário de segurança e trânsito da prefeitura, João Batista de Andrade, este assunto não é de competência da administração municipal. “A responsabilidade é do estado, inclusive de encontrar o terreno”, argumenta. Ele garante que se há necessidade de indicações, o prefeito Carlos Stüpp (PSDB) já o fez e que os locais foram vistoriados por técnicos do Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap).

“Esta é uma questão técnica, mas se for por locais, o prefeito indicou cinco: dois no bairro São Martinho, um no São Cristóvão, um na Madre e outro no conhecido Campo da Eira. Basta o estado escolher um e começar a obra”, resume Batista.
O secretário Ronaldo Benedet enviará em dez dias um ofício ao prefeito de Tubarão.

“Vamos enviar este comunicado em carta registrada. Queremos evitar divergências como esta que está ocorrendo, em que o prefeito afirma já ter indicado cinco áreas e os técnicos do Deap dizerem que em apenas duas o presídio pode ser construído” justifica.

Informado sobre o ofício, o secretário de segurança e trânsito da prefeitura disse que vai aguardar o documento. “Esperaremos para ver qual é o teor do ofício e depois nos pronunciamos a respeito”, afirma Batista.