Wagner da Silva
Rio Fortuna

Durante a sessão extraordinária mais rápida deste ano – durou cerca de uma hora -, os vereadores de Rio Fortuna não precisaram de mais de 15 minutos para aprovar, por unanimidade, dois projetos de lei que garantem recursos para a compra de um terreno onde será construída a nova creche municipal.

Desde a gestão do então prefeito Neri Vandresen (PMDB), a administração possui disponíveis R$ 950 mil, verba esta do governo federal, para o projeto de construção da creche. O atual chefe do executivo, Silvio Heidemann (PP), decidiu mudar de local e adquiriu um terreno da Mitra Diocesana. A área possui cerca de 2,8 mil metros quadrados e foi negociada em duas parcelas de R$ 65 mil.

Para o secretário de administração da prefeitura, Mário Sielbert, a mudança de local representa atraso na execução. Por outro lado, garante que o projeto inicia nos próximos três meses. “Começaremos da estaca zero, pois os documentos terão que ser reenviados ao governo federal. De qualquer forma, não perdemos o recurso. Estamos empenhados nesta questão”, enfatiza.

Entenda o caso

O ex-prefeito de Rio Fortuna, Neri Vandresen (PMDB), solicitou à Mitra Diocesana a doação de um terreno à construção de uma nova creche. A obra seria feita com recursos do governo federal e uma pequena contrapartida do município.
Após assumir o comando do município, o atual prefeito, Silvio Heidemann (PP), decidiu buscar um outro local. A argumentação é de que o local anteriormente escolhido (ao lado da escola) acabaria com uma quadra de areia e o parque da instituição.

Heidemann solicitou à Mitra a troca do terreno já ganho pelo ex-prefeito por um outro, ao lado do centro comunitário São Marcos. A Mitra negou o pedido. Então, o prefeito encaminhou uma proposta de compra.
A Mitra queria R$ 130 mil, pagos à vista. Durante uma reunião muito tensa, o pároco Antônio Rech assumiu a responsabilidade de convencer a Mitra a vender o terreno na forma parcelada.