Foto: Claudio Reyes / AFP
Foto: Claudio Reyes / AFP

Os saques em um hotel e em vários supermercados, além de incêndios em diferentes partes do Chile registrados nas primeiras horas desta quarta-feira, aumentaram a tensão na crise social que atinge o país há seis semanas. “Está alcançando níveis de violência que não eram vistos no Chile desde o retorno à democracia” (em 1990), declarou o ministro da Defesa Alberto Espina, falando ao Congresso.

Um dos episódios mais violentos foi registrado na cidade de La Serena, um dos principais resorts à beira-mar na costa norte do país, a cerca de 480 quilômetros de Santiago, com saques e queima de um hotel tradicional no centro da cidade, o Costa Real. Na cidade portuária de San Antonio, na região de Valparaíso, a fúria foi repetida com atos de vandalismo que incluíam o ateamento de fogo às instalações do jornal local El Líder, um novo ataque à mídia que reproduz o que foi realizado contra o jornal El Mercurio de Valparaíso, o jornal mais antigo do Chile.

Mais ao Sul, em Concepcion, uma manifestação – registrada em meio à greve de dois dias convocada pelo principal sindicato do Chile (CUT) – terminou com incidentes violentos entre homens encapuzados e a Polícia, as mesmas cenas que há mais de um mês se repetem todos os dias em todo o país.

Em Santiago, a estação de metrô “República” – localizada em um distrito universitário no centro – sofreu novamente danos que obrigaram as autoridades a suspender sua operação, acrescentando um novo problema à rede ferroviária metropolitana onde a revolta começou em 18 de outubro e terminou com mais de 70 estações danificadas.

Em várias partes do país, os panelaços voltaram com força na noite de terça-feira, depois de ser noticiado que o estudante universitário Gustavo Gatica ficou cego devido às balas disparadas por agentes de choque há algumas semanas.

No início do dia, o movimento “No+Tag” – que exige uma queda nos preços das tarifas rodoviárias e que as dívidas sejam perdoadas para os usuários dessas estradas – retomou as principais vias de acesso de Santiago, causando engarrafamentos.