O estado de saúde das gêmeas Mel e Lis está estável. Esse é o resultado do boletim médico divulgado pelo Hospital da Criança José Alencar nesta segunda-feira (13/5). Segundo a equipe médica, elas permanecem nas mesmas condições em relação ao quadro respiratório e neurológico. Esse é o 16º dia de pós-operatório.  

 

As irmãs fazem uso de antibiótico e recebem suporte de oxigênio por cateter nasal. Elas também estão sendo acompanhadas diariamente com a equipe de neurocirurgia, neurologia pediátrica, cirurgia plástica e terapia intensiva pediátrica. As gêmeas também se alimentam a partir de uma dieta. Ambas estão em seguimento com fonoaudiologia. 

Mel e Lis nasceram unidas pelo crânio em junho do ano passado. Eles foram separadas em uma delicada cirurgia que envolveu 50 profissionais no sábado (27/4), no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB).  Esse é o primeiro caso de siamesas craniópogas do Distrito Federal. Na literatura médica, há cerca de 50 casos como esse no mundo, mas só 10 cirurgias foram realizadas com sucesso.  A cirurgia levou mais 20 horas. 

O sucesso da cirurgia de separação das gêmeas siamesas injetou otimismo nos demais pacientes do Hospital Criança de Brasília José Alencar (HCB). Para realizá-la, os especialistas treinaram por meses com moldes tridimensionais e uma série de exames. Além da operação do dia 27, as meninas foram anestesiadas cinco vezes, para uma série de procedimentos, que incluíram tomografias e a inserção de expansores de pele. As crianças haviam passado pela primeira operação após o parto, em 26 de janeiro, para o implante de expansores de cutâneos.