Mirna Graciela
Florianópolis 


O secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, e o comandante-geral da PMSC, Cel Araújo Gomes, concederam hoje (19) pela manhã uma entrevista coletiva sobre as ações de governo no combate à pandemia do novo coronavírus em Santa Catarina. O número de casos confirmados no estado subiu para 20 e são 177 casos suspeitos em análise.


Os casos confirmados são registrados nas cidades de Tubarão (2), Braço do Norte (3), Florianópolis (6), Balneário Camboriú (4), Rancho Queimado (2), Joinville (2) e São José (1).


Conforme decreto estadual, há várias restrições a serem obedecidas, como o fechamento de estabelecimentos comerciais. “As forças de segurança estão empenhadas nessa fase para fazer essas restrições acontecerem. Estamos desde ontem (18) com uma operação bastante grande. Foi um dia de orientações e notificações para estabelecimentos, o grau de adesão foi bastante grande”, disse o comandante-geral da PMSC, Cel Araújo Gomes.


“Porém, a partir de hoje (19) entraremos em uma segunda etapa, cobrando, autuando os que não cumprirem as medidas impostas”, alertou. 


Sobre o atendimento nos supermercados, Araújo revela que há uma grande preocupação. “Estaremos mais próximos dos supermercados para que não ocorra aglomeração excessiva. Podem confiar na cadeia de abastecimento”.


Segundo o comandante, o efetivo está maior e hoje (19) à noite as ações se intensificam em áreas de diversão, como restaurantes e bares. “Estaremos também abordando pessoas que estiverem em locais públicos com aglomerações”, finaliza.


O que ocorre quando as medidas não são cumpridas sobre o fechamento das portas:

Em indústrias e demais estabelecimentos que não cumprirem as determinações do decreto, como o fechamento das portas, a Polícia Militar age da seguinte forma:

– Fechamento ocorre em três etapas

– Primeiro a PM faz a determinação do fechamento e estabelece uma ordem de restrição

– Em um segundo momento, ocorre a fiscalização para confirmar o fechamento em uma hora.

– Depois a PM retorna ao local e, caso ainda esteja aberto, os policiais realizam o enquadramento pela ordem de desobediência, que pode ser uma punição mais grave