Lily Farias
Tubarão

Essa história é pra quem acredita no amor e ainda tem fé nas pessoas.  Até vai parecer aqueles filmes de romance de Hollywood em que o casal se conhece, se apaixona e vive junto pra todo o sempre.  Mas antes deles cada um tinha uma história, um caminho que num determinado momento…se uniu!

Pois é, esse casal é a Michele Gonçalves e o Rafael Almeida. Ela é de Floripa e ele de Monte Negro, no Rio Grande do Sul.  Rafa veio pra Laguna em 2012 e ela pra Capivari de Baixo em 2016 (foi neste ano que eles se conheceram, em Capivari).

Quando morava em Floripa Michele tinha uma vida tranquila ao lado dos três filhos e do marido.  Rafael morava com os pais, na sua cidade Monte Negro.  Era solteiro e tem uma filha.  

Assim que deixaram suas famílias, eles não tinham pra onde ir. Rafael foi morar nas ruas e já andou por muitas cidades da região, estava em  Capivari quando conheceu Michele, que também foi morar nas ruas quando saiu de casa. Mas ela ficou menos tempo sozinha.  Assim que chegou eles já se uniram.

Mal sabiam eles o que o destino tinha guardado: o mundo à disposição deles e um tapete preto pra desfilarem.  E nem imaginavam que já tinham uma vida em comum.  Eram usuários de drogas e há tempo pensavam em um meio de sair dessa vida. Rafael chegou a ser internado 32 duas vezes e Michele perdeu tudo que tinha,  inclusive a família.

“Quando cheguei eu sabia que queria passar o resto da minha vida com o Rafa, mas ele se afastou de mim porque tem Aids. Aquilo me comoveu. Então busquei ajuda e levei ele comigo”, diz Michele.

Pra iniciar o tratamento pra sair das drogas é preciso fazer uma série de exames, Michele fez e descobriu que também tem Aids.  “Meu mundo caiu e ao mesmo tempo vi uma luz no fim do túnel, assim eu podia ficar ao lado dele”, conta.

Hoje eles estão recuperados do vício das drogas e levam uma vida simples. Viajam pra muitas cidades com as mochilas nas costas e optaram por não ter filhos, pelo menos humanos, porque eles adotaram quatro cachorros que vão para todos os cantos com eles.

O casal não tem uma vida fácil. Precisam lutar todos os dias pra não voltar ao mundo das drogas e ainda lidam com a abstinência,  dizem que encontram forças juntos.

“Não voltamos às drogas pra não perder um ao outro. Tentamos entender nossas dificuldades”, relatam carinhosamente.  

Mas como o amor não sustenta família, o casal vende balas na rua, faz artesanato, ganha alimentos. Eles mesmos fazem a própria comida. Carregam em um carrinho a cozinha com equipamentos que usam ondem estiverem.

E como todo mundo já sabe ainda há um enorme preconceito com os moradores de rua. “Eu sempre digo que é proibido preconceito. São poucas as pessoas que nos respeitam e é por causa dessas pessoas que ainda podemos acreditar no ser humano. É Tão simples ser feliz”, diz Michele

Eles dizem que o estilo de vida que têm hoje é uma escolha, mas pretendem fixar residência em Tubarão e comprar uma casa. “Nunca deixaremos de viajar. Queremos um canto pra voltar. Estamos tentando juntar dinheiro, construir, mas é tudo tão difícil. Se alguém tivesse um terreno pra doar, nem que seja em um local mais afastado pra sentir a natureza, já estaríamos felizes”, sonha o casal.