Foto: Herison Schorr/ Folha Norte SC

Sem poder receber os alunos na escola, a diretora de uma pequena escola municipal em Garuva não mede esforços para atender às necessidades das crianças e as famílias. Cleusa Regina de Vargas de Araújo tem 60 anos, vai nas casas das famílias para levar a merenda do dia e material didático para que as crianças não percam o conteúdo.

De acordo com o Governo Federal, é direito dos estudantes continuarem recebendo a merenda escolar e os professores devem repor aula por meio virtual.

Cleusa é diretora da Escola Municipal Maria Martins Budal, onde atende cerca de 120 alunos do ensino fundamental, séries iniciais, e diz que grande parte de seus alunos precisa de ajuda neste momento.

“Nem todo todo mundo pode ir até à escola para pegar a merenda e o material didático. Então vou até à casa deles e levo o que for preciso, inclusive carinho e atenção”, disse a diretora.

Muito mais que cumprir seu papel como gestora educacional, Cleusa fica atenta às necessidades das famílias ao longo dos dias que a crise se alonga.

“No início da quarentena muitos pais ainda tinham internet em casa e outras comodidades, hoje já não têm mais como pagar. Aí nosso trabalho se intensifica porque os professores precisam manter o conteúdo em dia”.

Cleusa diz que na maioria das vezes vai de carro até os bairros, mas já dias em que o carro não está disponível ela vai a pé.

“Às vezes atravesso a BR-101, outras vezes ruas simples. Não importa como vou chegar o importante é estar lá”.

A “Dire”, como é carinhosamente chamada pelos alunos se emociona com o quanto as crianças sentem falta de ir para a escola e demonstram muita gratidão pela sua atitude. “Eles dizem: ‘obrigada pela comida, Dire’. ‘Dire, comprei máscara, por que não posso ir à escola?’. Isso me deixa muito emocionada e motivada”.

Mesmo sendo do grupo de risco, Cleusa diz que toma todos os cuidados necessários. “Fico do lado de fora das casas, uso máscara. Quando chego em casa tiro o calçado na porta, em seguida tiro a roupa e boto na máquina e vai direto para o banho”.

A história de Cleusa foi contada primeiro pelo site Folha Norte SC, de Garuva e ganhou notoriedade depois que foi publicada pelo site Razões para Viver:já teve 6,5 mil curtidas, 124 comentários e 3 mil compartilhamentos. Na matéria, a “Dire” mostra que sente amor verdadeiro pelos aluno e que tem força suficiente para não desistir:“Não medirei esforços para que todos tenham acesso ao conhecimento”.