Cerca de 200 funcionários foram a vários estabelecimentos em busca de apoio dos lojistas. Muitos, inclusive, fecharam as portas  -  Foto:Luiz Henrique Fogaça/IF Assessoria/Notisul
Cerca de 200 funcionários foram a vários estabelecimentos em busca de apoio dos lojistas. Muitos, inclusive, fecharam as portas - Foto:Luiz Henrique Fogaça/IF Assessoria/Notisul

Zahyra Mattar
Tubarão

 
Este sábado será um tranquilo dia de compras em Tubarão. A garantia é da presidenta do Sindicato dos Comerciários de Tubarão, Elizandra Anselmo. Segundo ela, a entidade não fará qualquer tipo de manifesto quanto à abertura das lojas neste sábado, como ocorreu no último fim de semana.
 
Segundo ela, o sindicato apoia a abertura do comércio, especialmente porque o Dia das Mães é uma das datas mais importantes para o setor. Perde, em movimentação e vendas, apenas para o Natal. “Mesmo sem acordo com o sindicato patronal (Sindilojas), não iremos nos opor. Fazer isso amanhã (sábado) seria ir contra os próprios comerciários”, avalia Elizandra.
 
Na sábado passado, o evento Dia D, organizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) foi marcado por protestos. A intenção era mostrar a indignação pela abertura do comércio por dois sábados seguidos.
 
Cerca de 200 funcionários foram a vários estabelecimentos em busca de apoio dos lojistas.  Muitos, inclusive, fecharam as portas. “Nossa intenção é contribuir para o fortalecimento do comércio da nossa região, mas não podemos fechar os olhos para este tipo de abuso”, acrescenta Elizandra, em referência à abertura das lojas dois sábados ao mês.
 
Conforme o Sindilojas já antecipou em outras oportunidades, o calendário deste ano prevê a abertura do comércio em dois sábados em agosto (no dia 4, Dia D, e 11, quando será feito horários especial do Dia dos Pais) e em novembro (para suprir os feriados dos dias 2 e 15, que cairão em dias de semana).
 
“Caso o Sindilojas continue com a intenção de abrir dois sábados em agosto e novembro, faremos uma manifestação ainda maior”, avisa Elizandra.